Sevens 343

Anterior | Próximo


Uma Gema Azul ao meu Coração

 
… Beim Sul.

Algum tempo tinha se passado após o meio-dia, e Erhart tinha visitado a Guilda. Ele tinha terminado o pedido que havia recebido, e viera reportar.

Seu pedido era patrulhar o perímetro da cidade. A maior parte dos soldados estava fora da cidade. Por causa disso, havia pedidos aos aventureiros da cidade para compensar pela falta de pessoal.

Rühe era quem mantinha o balcão. Quando avistou Erhart, ela acenou sua mão.

— Bom trabalho lá fora.

— Bem, está tudo resolvido. Ou melhor, ganhou alguma info nova? Já faz bastante tempo desde que partiram, mas não ouvi rumor nenhum.

Rumores… naturalmente sobre a guerra em Centralle. Apesar de haver rumores sem fundamento circulando, nada certo havia chegado aos ouvidos de Erhart.

Não era como se ele fosse particularmente bom em coletar informação para início de conversa. Uma pessoa de seu grupo se especializava nesse tipo de coisa.

Mas até essa pessoa ainda havia de obter qualquer coisa definitiva. A guerra ainda estava prosseguindo? Foi vencida? Perdida? Erhart não conseguia deixar de ficar curioso.

— Não obtivemos qualquer informação. As Valquírias, era isso? Todas elas foram reunidas, então parece que não temos nenhum meio de comunicação direta.

Erhart entregou a papelada, levando sua mão ao queixo.

— Entendo. Bem, talvez não seja algo que termine tão fácil, mas não se pode deixar de ponderar.

Uma batalha para decidir o destino do continente… assim ela era chamada. Mas na prática, era uma guerra de alguma terra distante.

Apesar daqueles em volta estarem curiosos, eles prosseguiam com suas vidas.

Enquanto Rühe e Erhart conversavam, Marianne correu para a Guilda. Ela estava ofegante, atraindo os olhares das recepcionistas e aventureiros da filial.

Marianne se recompôs antes de declarar com um sorriso:

— Eles venceram! Foi a vitória da aliança. O Reino de Bahnseim foi derrubado! Pelo visto uma porção das tropas retornou. Então a informação pôde finalmente chegar até nós. A força principal já chegou em Rhuvenns.

Ouvindo isso, a atmosfera na guilda se iluminou de imediato. Erhart estendeu os braços e abraçou Rühe. Apesar de surpresa, no meio da atmosfera circundante, ela abraçou de volta e comemorou junto com ele.

E Marianne se alegrou em ver isso…

… No Castelo Rhuvenns, uma Valquíria foi até a Lianne.

Não era a unidade Trinta e Quatro.

Apesar de seus cabelos negros e rosto serem os mesmos, seu penteado e diferença sutil em suas roupas eram o bastante para Lianne entender a diferença.

A Unidade Trinta e Quatro não viera se encontrar com ela. E com uma Valquíria segurando um caixote e carta indo até ela, Lianne percebeu.

Levantando-se de sua cadeira, ela caminhou até a Valquíria. Ela pegou a caixa e a carta.

Mas a carta era algo de seu lar, Faunbeux. Deixando a carta para depois, ela abriu a caixa. Nela havia um único barbante tricotado. O presente da Lianne.

— … Não faz sentido nenhum devolver se isso foi tudo o que sobrou de você. Que menina tola até o fim.

A irmã da Valquíria assentiu.

— Sim, ela era uma tola. Mas cumpriu o seu dever. Por favor, elogie-a. E foi a isso que ela se apegou com mais apreço. Tenho certeza que não queria que queimasse junto consigo. Ela deixou as palavras finais, falou: “Tenho roupas preparadas pro seu pintinho. Confere a cômoda, por favor.”

Lianne riu. Riu, riu com esse puro absurdo, agarrando sua barriga com as duas mãos. E se aproximou da cômoda onde a Unidade Trinta e Quatro aparentemente tinha guardado as roupas, e a abriu.

Nela, vários trajes tinham sido preparados, de bebê a criança.

— Ela realmente era uma tola… sem pensar em nada no que viria…

As lágrimas a Lianne mancharam uma das roupas. Enquanto esfregava as lágrimas, ela abriu a carta de Faunbeux. A carta continha palavras de preocupação por sua filha.

Ao mesmo tempo, estava escrito que a Novem fora escolhida como esposa principal. Lianne sorriu.

A Valquíria parecia preocupada com ela.

— Não deve se desesperar. E a Unidade Trinta e Quatro não iria querer…

— … Desesperar? Não tenho tempo nenhum para isso. E recebi as últimas palavras daquela menina. Bem, apesar de ter tido a posição de esposa legal puxada dos meus pés, ainda sou uma das concubinas. As chances de dar a volta por cima daqui em diante não são zero. Acho que irei para Centralle imediatamente.

A Valquíria falou:

— As roupas estão preparadas, isso foi uma mensagem o bastante?

Lianne esfregou suas lágrimas, falando, enquanto virava suas costas para a Valquíria.

— Sim, ela queria ver o rosto do meu filho. Logo, um bebê, o rosto do pintinho… essa é a exigência dela. Ela não será capaz de vê-lo. Mas você também quer, não é?

Nisso, a Valquíria em sua frente endireitou sua postura.

— … Sou a Unidade Setenta e Um. Pertenço à facção que a apoia. Por favor, permita-me carregar esse dever!

Click! Quando sua expressão mudou, Lianne sorriu.

— Entendo. É um prazer trabalhar com você, Unidade Setenta e Um. E agora, primeiramente, façamos os arranjos para transportar esta cômoda. Carregue com cuidado. E então as preparações para ir até Centralle…

— Quanto a isso, Centralle virou uma montanha de escombros. A fortaleza móvel também foi destruída, então há a necessidade de construir uma nova capital. A localização já foi decidida.

Lianne soltou um suspiro. Ela não tinha tempo para se sentir triste.

— Quanto eles acham que aquela fortaleza custou? Bem, se ganharam, que seja. Podemos coletá-la quando quisermos. Então iremos para lá após algumas preparações. Ficarei bastante ocupada. Mas… uma nova capital, não é? Isso soa bem interessante.

Quando Lianne mostrou sua força de vontade, seu espírito de guerra contra a Novem ardeu.

— E talvez seja bom ficar séria em obter o favor dele. Porque quero ter um filho logo.

A Valquíria assentiu firmemente…

… Beim Norte. Escritório da Adele.

Recebendo o relatório de Vitória, e os documentos explicando a situação, Adele agarrava sua cabeça.

— Centralle virou uma montanha de escombros… A fortaleza móvel foi arremessada e sofreu danos graves. Por que as coisas chegaram a isso… a Capital de Centralle era um sítio histórico. E o custo daquela fortaleza foi ridiculamente alto. Foi por isso que nunca quis aquela arma.

Uma Valquíria se punha, bastante desmotivada, ao lado da choramingante Adele. Adele não era uma esposa do Lyle. Significando que não teria os filhos do Lyle.

Como resultado, ela estava em posição baixa na ordem de procedência das Valquírias. Quando a Valquíria mexeu a ponta de seus longos cabelos negros com a ponta de seus dedos, ela soltou um suspiro.

— … Mais importante, dá pra você começar as preparações logo? Estamos com falta de oficiais, então falaram para chamar a Adele-san.

Adele desceu as mãos na sua mesa algumas vezes, com força o bastante para baques soarem.

— Mas que atitude é essa!? E o pensamento de que está tudo bem desde que se vença é absurdo! Ele deveria ter tentado uma vitória com menos perdas, veja, e…

— Ah, isso daí era impossível. Bem, tenho o relatório sobre isso, então peço que dê uma lida.

A Valquíria puxou um relatório do evento de sua bolsa. Cada folha de papel estava cheia até o limite de caracteres que mal eram legíveis.

E a quantidade de papéis não era nada engraçada.

— … Você pode sumarizar?

A Valquíria parecia desmotivada:

— Derrotamos a Celes. Agrissa apareceu e perdeu para a Novem. Novem recebeu uma confissão do mestre, e desistiu. Fim. Ah, alguma coisa sobre um dragão dourado ser o mandante, ou algo assim, parece que devemos dizer que ele foi um adversário formidável.

Adele bateu em sua mesa mais algumas vezes.

— Com um pouco mais de detalhe, se possível! Mesmo que me diga isso, não me sinto nem um pouco mais esclarecida.

A Valquíria soltou um “Eh~”, em verdadeira relutância…

— Desenvolvimento de cidade? Como alguém pode se chamar de empregada se não puder fazer pelo menos isso? Desde a decisão do local à criação das plantas, apenas conte com esta Mônica. Irei preparar uma cidade digna de um frangote inútil…

— Eu, veja, sendo bastante honesto, ficaria bem com um foco em praticidade. Mas sabe, melhor não ser meia boca, e algo majestoso seria bom. Veja, sei que o outro está meio apertado no nosso orçamento, mas algo extravagante seria o melhor.

Havia numerosas barracas armadas em volta. Nós discutíamos a cidade que construiríamos no local que a Mônica havia designado enquanto saíamos e nos colocávamos em volta de uma enorme mesa.

Apesar da Mônica continuar brincando, o lugar que tinha escolhido certamente era um bom lugar para uma cidade. Se eu tivesse que mencionar um problema, seria que os trabalhos preliminares e fundações seriam um saco.

Controle de enchentes, isso, aquilo, etc… havia uma razão para uma cidade nunca ter sido colocada lá antes. Mas de certo modo, nós tínhamos um agrupamento de especialistas aqui.

Novem olhou para mim e assentiu.

— Façamos um plano não só para os seus tempos, mas para o desenvolvimento futuro. As fundações são importantes para isso. Deixe comigo. Apesar de eu ter perdido uma grande parte do meu poder, esta Novem lhe dará uma cidade de presente…

— Isso não é uma boa ideia, é? Nós temos soldados o bastante, e só precisamos dar alguns trabalhos para eles. Veja, os outros exércitos já voltaram para casa, e seria difícil para nós, se ficarmos carregando umas centenas de milhares de pessoas.

Quando a Novem disse algo similar à Septem que cuidou de mais e arruinou as pessoas, Miranda olhou para ela e riu. Novem pigarreou propositalmente.

— Você precisa ter o pós-guerra em mente adequadamente, certo~. É ruim manter os soldados sem trabalho enquanto temos problemas com comida. Mas aquele dragão brilhante…

— Dragão Lenda.

Quando dei o nome correto, Miranda se corrigiu. Ele dava tanta pena que eu queria que pelo menos seu nome fosse lembrado direito. Por enquanto, ele tinha sido colocado como o formidável inimigo final a se colocar em nosso caminho nessa conquista.

— É, as pedras mágicas e materiais do Dragão Lenda ainda precisarão de algum tempo antes que o mundo saiba de seu valor, então também há o problema monetário.

Damien levantou seus óculos com a ponta de seus dedos.

— Eu acho que são materiais incríveis. Mas levará um tempo até descobrirmos como usá-los.

O velho Letarta olhou para uma porção dos materiais que tínhamos coletado.

— … Honestamente, por que você tem tantos materiais quando só um dragão apareceu? Tem o bastante para três ou quatro dragões inteiros, sabia? Bem, deixe eles conosco por um tempo, e eu e o Damien lhe diremos para que eles servem melhor.

Eu não podia sentir muita motivação do Damien.

— Sabe, para mim, isso é um desperdício de tempo. Por que eu tenho que me envolver com o desenvolvimento de uma cidade em um lugar desses quando deveria estar em busca da minha mulher ideal?

Eu, em resposta a ele:

— Por que uma porção dos materiais que estamos dissecando se tornarão seus fundos de pesquisa. É melhor você achar uma utilidade para eles que fará as pessoas comprarem a um preço alto.

Damien sorriu.

— Conte comigo. Pelos meus fundos. Isso é algo importante para mim.

Enquanto explicava as coisas, olhei para o céu. O clima hoje estava agradável.

Estendi minha mão direita distraidamente para a Joia e a apertei, mas não houve resposta. Parece que realmente tinha retornado a ser uma gema azul.

Seria restaurada à forma de Joia novamente algum dia? Ou talvez, continuaria sua existência como uma gema para sempre?

… Isso não é bom. Eu ainda tinha a sensação de que ouviria a voz dos meus ancestrais de algum lugar.

Nisso, a Shannon olhou para mim.

— Lyle, você parece solitário. Oh, mesmo que diga que estou errada, a toda poderosa Shannon consegue dizer. Pois os olhos que herdei da minha bisavó Milleia podem ver através de tudo em existência!

Vendo-a fazer uma pose firmemente, soltei uma risada. Eu não tinha tempo para ficar triste. A hora do fim de tudo seria quando eu morresse.

Até lá, eu precisava continuar caminhando. Eu precisava continuar seguindo em frente.

— Bem, vamos montar uma fundação firme para nossa nova capital. É pelo futuro. Depois disso… só precisamos enfiar as funcionalidades suficientes. Eu quero ela já com alguma forma até o final da Primavera, para que possamos declarar a fundação da nossa nação.

Eu ainda não podia abaixar minha guarda. Algum exército talvez visasse esse momento para atacar. Eu queria acreditar que não havia idiota nenhum, mas não será engraçado ser morto por um idiota.

Mônica olhou para mim.

— Oh, Frangote. A Lianne-san em Rhuvenns diz que trará as ferramentas e materiais necessários para preparar uma nova cidade. Isso é bom. Parece que ela está tentando vender um favor agora que a esposa legal foi decidida.

Mônica riu.

Desviei meus olhos. Quando o tópico da esposa legal surgia… bem, realmente era imperatriz… os olhos de todas se focariam na Novem.

Novem, levando uma mão ao rosto e inclinando um pouco sua cabeça, lançou um olhar de provocação aos arredores. Miranda reagiu imediatamente, então me aliei com a Shannon para escapar.

— Ei! Não vai fazer nada a respeito disso!?

— Garotinha idiota!! Tudo o que posso fazer é ficar de olho e garantir que ninguém exploda. Não é problema meu o que acontece quando já explodiram! Eu sou um homem que não luta sem alguma chance de vitória.

Enquanto a Shannon fugia comigo, encontramos a Aria e Eva em nosso caminho. As duas conversavam, enquanto eu pensava que era uma combinação estranha.

Parecia ser uma conversa séria, então dei uma espiada das sombras.

— A esposa do Primeiro? Bem, ela era uma pessoa incrível.

— Um pouco mais de detalhe nisso! Por favor, eu tenho uma obrigação de conseguir uma canção desse clã. Agora que testemunhei, eu percebi. A Casa Walt é interessante! Então preciso saber mais! Puxa vida, o Lyle deveria ter se aberto mais para mim sobre essas coisas mais cedo.

Parece que ela estava seriamente investigando meu clã. Quando a elfa, que tinha tendência de exagerar e improvisar, investigava algo com tanta seriedade, dava um pouco de medo.

Nisso, Shannon, que se escondia ao meu lado, falou:

— Parando para pensar, a Clara parecia estar pensando em algo muito seriamente também.

A Clara estava fazendo sua jogada. Quando pensei isso, realmente colocava um fardo na minha mente. Clara e Eva, eu podia apenas esperar que sua rivalidade estranha não explodisse.

Nisso, a Shannon olhou para mim.

— Que dureza pra você. Tantas esposas. E vai arrumar mais, não vai? Bem, apenas dê o seu melhor. Ah, também sou sua esposa, mas desde que eu possa relaxar todo dia, não tenho nenhuma outra reclamação.

Belisquei a bochecha da Shannon.

— Ei, eu não ligo de arranjar essa segunda parte pra você, mas que história é essa de mais mulheres!?

Shannon se contorceu para libertar sua bochecha da minha mão direita.

— D-digo! Estão todas falando sobre como não conseguirão enfrentar a Novem sozinhas! Ludmila entrou em contato com o Rei de Djanpear, e as outras estão fazendo sondagens em buscas de aliadas, então achei que você soubesse…

Soltei o rosto da Shannon, cambaleando para trás.

— N-não pode ser. Mesmo agora já tem mais de dez, sabia. Vocês são estúpidas!? Realmente são! Vocês na verdade me odeiam, não é?

Nisso, Shannon deu uma risada.

— Então você finalmente notou? Isso… o que realmente estamos atrás é do seu estado mental enfraquecido e desaparecendo.

— E-eu sabia! Garotinha, então você me odiava tanto assim!

Enquanto fazíamos baderna, Vera veio até nós. Ela não pareceu surpresa mesmo ouvindo a conversa que a Shannon estava tendo comigo.

— Vocês dois realmente se dão bem. E estarei retornando temporariamente, então pode me emprestar a Clara? Preciso transportar alguns produtos, e gostaria de usar as tropas de transporte da Clara.

Me virei para a Vera.

— Desde que deixe metade para trás. Não temos muita utilidades para eles aqui, também. Mas ainda assim, será realmente doloroso se os portadores se forem.

Pensando só em velocidade de movimento, o Portador era excepcionalmente rápido. Nós tínhamos perdido um precioso camarada… com suas rodas especiais, com seu minério mágico e seu motor locomotor, Portador.

Shannon também foi levada às lágrimas.

— Uuuuurh, Portador… o conforto do seu compartimento de carga fará falta.

Atualmente, estávamos seguindo com a vida nas barracas. Eu também ansiava pelo compartimento de carga do Portador. Vera olhou para nossa tristeza.

— … Bem, era como um parceiro que acompanhou vocês por muito tempo, não é? Como o meu navio para mim? Eu preciso retornar logo, então você quer alguma coisa?

Me veio uma ideia. Me virei sorrindo para a Vera.

— Eu gostaria de um pouco de bondade!

Falei. Eu tinha algumas esposas terríveis armando para aumentar meu número de esposas. Acho que não tem problema eu procurar por um pouco de bondade. Nisso, a Vera começou a pensar com um olhar sério no rosto.

— Bondade… está se referindo à tolerância? Quer dizer que se for esse tipo de mulher, você aceitará?

— … Eh?

Quando entrei em pânico, a Vera explicou:

— Ah, não fui eu. Não sou a favor disso, mas se você oficialmente colocará a Guilda sob administração do Estado, então eles disseram que seria melhor enviar alguém para você. Veja, sua impressão como um mulherengo é realmente forte por lá, e…

É um mal-entendido. Um completo mal-entendido. Eu tenho muitas mulheres em volta de mim. Eu realmente tenho, mas tenho a sensação de que a impressão que o mundo tem de mim está ficando cada vez mais longe de quem eu realmente sou.

— … Guie as conversas para rejeição.

Vera assentiu:

— Entendido. Direi isso ao meu pai também. Então decidirei seu suvenir sozinha, então tenha altas esperanças.

Quando a Vera foi embora, Shannon beliscou minhas calças e deu uma puxadinha.

— O que foi?

— Você definitivamente está em rumo a algo absolutamente terrível. Se não falar direito para todo mundo enquanto tem a chance, será tarde demais para voltar atrás.

Eu também achava. Quando apertei a Joia, quase senti como se pudesse ouvir vozes irritadas, mas ainda assim, se divertindo com a situação.

— Eu sei. Vou falar para elas imediatamente. Vamos voltar.

— Hã? Eu não quero. Volta sozinho.

Arrastei a Shannon com um sorriso enquanto retornava ao campo de batalha da Novem e Miranda.


Tradução: Batata Yacon   |   Revisão: Delongas


Ei, se estiverem gostando do projeto e desejarem ajudar um pouco, vocês podem fazer isso acessando o link abaixo, solucionando o Captcha e aguardando dez segundos para ir à nossa página de agradecimentos.

Podem acessar por aqui.

Ou Aqui.


Anterior | Próximo

7 ideias sobre “Sevens 343

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s