LOS – Capítulo 57

Anterior | Próximo


Capítulo 57:

~Convencido~

 


 

“Opostos polares frequentemente são os melhores parceiros.”

— Uma Memória dos Antigos

 


 

***Caríntia***

***Sely***

 

 

Estamos sozinhos na sala de estar. Os reparos na mansão e no apartamento estão quase prontos. Magnus contratou uma horda de gnolls para o apartamento, enquanto Oilell lidava com o saguão de entrada sozinha. Infelizmente, Magnus ainda é um problema. Ele não gosta da ideia de ter um humano em seu lar. Nenhum pouco. Levou algum tempo para Eva e eu convencermos ele a pelo menos considerar a ideia.

“Eu ainda não acho que isso seja uma boa ideia” reclama Magnus mais uma vez, sobre convidar a repórter à nossa berlinde de realidade.

Eu suspiro. Ele realmente precisa relaxar um pouco. Primeiro não é bom eu realizar a entrevista na emissora. E então não podemos deixar a repórter visitar nossa berlinde de realidade. “Então se resolva. Onde podemos realizar a entrevista? Se eu não puder fazer aqui, onde é perfeitamente seguro, e não posso fazer na emissora, então onde posso dar a entrevista?”

Ele pondera por vários e longos momentos, certamente pesando minha segurança pessoal contra a segurança da berlinde de realidade. No final, ele chega a uma decisão. “Você pode dar a entrevista no nosso apartamento restaurado.

Inclino minha cabeça. “E qual seria o ponto de fazer isso? O apartamento, tão brilhante quanto esteja agora, não transmite exatamente uma aura de superioridade esmagadora. Nós queremos que os humanos acreditem em nossa habilidade de lidar com as coisas. Nós temos que dar um show a eles. Eles precisam saber que não estão lidando apenas com outro político confiante demais. Temos que oferecer suporte às nossas alegações. O meio mais fácil seria mostrar a eles a berlinde de realidade. E enquanto estamos nisso, fazemos um pouco de mágica para impressioná-los.

Ele lambe seus lábios, mas não consente.

Então forço um pouco mais. “Tenho certeza que você tem um meio de garantir que eles não serão um risco?”

“É claro que eles não são um risco! Eles são só alguns humanos sem armas nenhumas. O que me preocupa é que eles carreguem informações importantes para fora.” Magnus cruza os braços na frente do peito e me encara desafiadoramente.

Eu assinto. “Okay, tudo bem. Então que tal isso? A entrevista não será ao vivo como a última. Podemos pedir para editarem ou borrarem informações importantes. Ouvi que a mídia humana faz isso o tempo todo. Eles devem ser muito bons nisso. Nós só temos que dar uma razão a eles. Como questões de segurança. Podemos guiá-los a áreas onde eles podem gravar.”

Ele resmunga, mas parece que pode viver com essa ideia. “Tá bom. Apenas se certifique que eles não gravem as runas no interior da nossa passagem. Eu mudei todo o encantamento de segurança para garantir que os fae não tenham uma segunda vez fácil. Odiaria ter que fazer isso tudo de novo. E ainda não sei com certeza como eles conseguiram abrir a passagem.”

Eu assinto. “Certamente não será um problema fazer um pedido desses. Obrigada.” Eu beijo sua bochecha e o abraço.

“Tem certeza que não quer saber o sexo?” pergunta ele com uma voz esperançosa.

Se ele perguntar assim me sinto horrível em recusar, mas realmente quero que seja uma surpresa. Pego sua mão e a coloco em minha barriga. “Tá bom. Lance um feitiço de divinação. Mas se você me disser o resultado, eu vou te decapitar.”

Ele pressiona seus lábios em uma linha fina. “Você sabe perfeitamente bem que eu não seria capaz de manter minha boca fechada! Estou tão feliz com a criança que me gabaria disso para todo mundo.”

Eu franzo minha testa: “Isso é algo que eu queria clarificar desde um tempo atrás. Por que você está tão feliz sobre a criança? Quando nos conhecemos, você quase teve um derrame quando eu mencionei a possibilidade. Você até perguntou se eu tinha tomado medidas preventivas. Eu estava perfeitamente feliz com a oportunidade desde o princípio. Mas você praticamente mudou de ideia da noite para o dia.”

Ele bufa e remove sua mão, não invocando o feitiço de divinação. “Isso foi antes de me apaixonar por você. Você era uma estranha. Pelo que sabia, você poderia ser uma pessoa a quem eu absolutamente odiasse. Ainda assim, seria minha responsabilidade cuidar de você e da criança. Eu tinha um relacionamento ruim com a Fiacre e a Oilell. Você mudou tudo isso. Eu não percebi, mas estar completamente sozinho era realmente deprimente. Eu estava bem o bastante, mas agora que tenho você, não quero voltar ao que era antes.”

Eu sorrio e o abraço. “Eu também não quero voltar.”

Magnus se reclina no sofá e me puxa para cima dele. Nós gastamos os dez minutos seguintes aos beijos. Após o fiasco de se deparar com Hatlix e Cecília, estou inclinada a conduzir mais atividades em nossos aposentos privados.

“Você está tentando comer ele?”

A voz da minha irmã destrói o momento, provando-me que essa casa não é o mesmo lugar quando chegamos inicialmente. Encerro o beijo, mas recuso a deixar minha posição em cima de um travesseiro tão confortável. “Você vai entender quando encontrar um cara próprio.”

Annia faz uma careta, me mostrando sua língua. “Eu nem posso ser considerada uma adulta, e meu corpo mal amadureceu. Só de me olhar, a maioria das pessoas assumiria que tenho dezesseis anos! Não tenho interesse nenhum em relacionamentos físicos no momento. Mas não é por isso que estou aqui. Eu só queria informar vocês que o jantar está pronto.”

Ela estuda o Magnus com uma rápida olhada. Então dá um sorriso malicioso. “E quem disse que eu tenho que procurar um cara? Isso significaria eu ter que ir para outro clã. Você não quer dividir ele?”

Arfo e aponto para a porta. “Fora!”

Ela levanta suas mãos: “Okay. Foi só uma piada. Não pisque os olhos malignos para mim. Aquele garoto que veio com nossas novas adições parece bem mais interessante de qualquer jeito. A diferença de idade não é tão grande.” Ela resmunga e deixa a sala.

Magnus levanta uma sobrancelha. “Você não está exagerando? Ela é só uma criança. Os instintos dela nem despertaram ainda.”

Deslizo de cima dele e me ponho de pé. “É! Mas melhor não permitir que tais pensamentos criem raízes e floresçam! Eu criei ela. Eu segurei ela nas minhas mãos quando era uma bebê. O pensamento de mim e ela e você é simplesmente… Ew!”

Ele assente. “Eu entendo. Mas estou feliz que pelo menos um de nós sabe como lidar com crianças.”

Ele está sério? “Eu acho que você não está fazendo um trabalho ruim com a Kath. Você é mais estrito do que eu jamais seria e suas punições são um pouco severas demais, mas ela está te escutando.”

Kath começou a colocar seus poderes sob controle. Individualmente, nós não tínhamos muito tempo para ela, mas entre Fiacre, Cecília, Magnus e eu, sempre achamos alguém para supervisionar a criança. Annia também pode ajudar e agora temos nossos novos membros do clã para auxílio. Não, Kath certamente não carece de atenção adulta. Junto com Segej, o garoto que a Annia mencionou, nós até temos uma estranha quantidade de adolescentes em nosso clã.

O jantar acaba sendo uma coisa agradavelmente calma. Bem, isso até a Tina limpar sua garganta e soltar uma bomba no final dele. Desde que Fiacre a ajudou a criar uma conexão direta entre sua própria berlinde de realidade e a nossa, ela gasta bastante tempo aqui. Tina abaixa seu garfo e sorri para o Magnus e para mim. “Espero que vocês dois estejam prontos para o fim de semana?”

Eu sorrio de volta para ela. “Fim de semana?” Olho rapidamente para o Magnus, mas ele também não parece saber o que está acontecendo.

“Sim. Vocês dois esqueceram completamente? Acho que faz sentido. Muita coisa aconteceu e uma urgência seguiu-se atrás da outra. Certifiquem-se que nada mais apareça, porque neste fim de semana vocês terão sua cerimônia de casamento. Eu já preparei tudo em casa. Todos estão convidados.” Tina sorri de orelha a orelha.

Eu limpo minha garganta. “Eu amaria ter uma cerimônia real, mas não é um pouco tarde para isso?”

Magnus me para pegando minha mão. “Eu estou mais preocupado com a magia selvagem em você. O que ela fará se realizarmos outra cerimônia em cima da existente? Acho que podemos dar nossos votos sem magia como os humanos fazem?”

Eu caio em silêncio. Nos meses recentes eu esqueci completamente sobre minha pequena maldição. Ter o Magnus significava que ela não importava mais. Sim! Um casamento entre Antigos é um ritual mágico onde ambos os parceiros supostamente abrem seus corações uns aos outros. Em nosso núcleo somos criaturas extremamente egoístas. Normalmente, um casal iria querer confirmar seus sentimentos para com o outro.

Isso não aconteceu entre o Magnus e eu. Ele é tão dedicado a esse relacionamento que questionar seus motivos nunca me ocorreu. Se algo, ele é superprotetor. O último incidente em que ele me prendeu com a Tina é prova. Apesar de eu não tê-lo perdoado completamente por fazer isso.

A magia em mim não deve reagir a meras palavras. “Se você estiver de acordo em realizá-la apenas com palavras? Estou razoavelmente certo que não afetará a maldição se fizermos apenas isso. Uma cerimônia real muito provavelmente seria interferida pela magia dentro de mim.”

Magnus grunhe. “Eu nunca faria algo com potencial de te matar. Magia selvagem deve ser deixada quieta. Eu ainda não estou confortável que um feitiço desses esteja repousando em você, mesmo parecendo estar adormecido.”

Tina levanta ambas as sobrancelhas: “Então vocês realmente não se opõe à festa tardia? Pensei que pelo menos o Magnus teria algo contra isso.”

A pessoa em questão solta um profundo suspiro e se curva para clamar o prato semi vazio de salada para si. “Tina teve incontáveis chances de armar algo para nós, então acho que está tudo bem visitar a berlinde de realidade dela para uma festa.”

O tempo passa e consigo dar a repórter humana uma entrevista razoavelmente decente. Nós até nos exibimos com um pequeno show de luzes mágicas e alguns outros truques. Houve apenas um pequeno problema quando Hatlix e Magnus explicaram sobre as berlindes de realidade e Véus. Nós até os asseguramos que os Antigos podiam ajudar com produção de comida no pior dos casos.

Só fico feliz que ninguém mencionou buracos negros e mundos explodindo. Nós sabiamente instruímos nossos dois gênios a manter suas bocas caladas sobre tais possibilidades.

 


Ei, se estiverem gostando do projeto e desejarem ajudar um pouco, vocês podem fazer isso acessando o link abaixo, solucionando o Captcha e aguardando dez segundos para ir à nossa página de agradecimentos.

Podem acessar por aqui.


Tradução: Batata Yacon   | Revisor: Delongas


Anterior | Próximo


 

4 ideias sobre “LOS – Capítulo 57

  1. Alex

    Pow véi era justamente o desespero dos humanos sobre o poder dos antigos que eu queria ver e tiraram justamente isso. Ty pelo cap

    Curtir

    Resposta
    1. Batata Yacon Autor do post

      Fico feliz por estar gostando, amanhã tem mais o/
      Você também pode conferir Until Death, que já está completo. Só devo pedir desculpas pelos erros do meu “eu” de 2015.
      Na aba de diversos, tem uns oneshots divertidos também… E caso deseje, tenta dar uma chance pro atual projeto principal que é Setes/Sevens.

      Curtir

      Resposta
  2. Thiago Morgado

    Obrigado pelo capitulo
    Eles precisam tirar logo essa maldição dela.
    Falando em magia selvagem, ainda não descobrimos se o Magnus faz é uma habilidade dele ou uma magia selvagem

    Curtido por 1 pessoa

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s