LOS – Capítulo 40

Anterior | Próximo


Capítulo 40:

~Respostas~

 


 

“Nós também temos nossos maníacos.”

— Uma Memória dos Antigos

 


***Atlantis***

***Sely***

 

Magnus limpa sua garganta: — Sely? Poderia por favor explicar para que são todos esses instrumentos? Pensei que você iria interrogá-lo, não dissecá-lo. Você disse que gastou bastante tempo estudando várias técnicas para influenciar a mente de alguém. Isso parece ser muito diferente do que esperei.

— Eu estudei. — Me viro para olhar para Cecília, Tina e Magnus. Eles parecem um pouco perturbados. — Algum problema?

Tina circula sua mão em um gesto inseguro, apontando para a mesa de operação: — Oh, é só que eu tive a impressão de que você era meio melindrosa com o jeito que o Magnus está tratando os prisioneiros dele. Não sei como isso é diferente.

Eu assinto: — Colocar alguém em uma caixa por dias é monstruoso! Eles estão vivos e conscientes! Assim que tivermos tempo, vamos limpar aquele buraco do inferno lá embaixo!

Cecília limpa sua garganta: — você está prestes a abrir a cabeça de alguém enquanto ele ainda está acordado. Isso não é muito mais cruel?

De jeito nenhum que eles podem ganhar qualquer vantagem moral nesse assunto. — Ele está anestesiado. Isso é completamente diferente de estar trancado em um baú escuro por mais de um mês! Tetrach não vai sentir nada enquanto faço meu trabalho.

Tetrach tenta berrar, mas tudo que solta é um gemido abafado. Eu o amordacei antes da operação. Não faz sentido escutar as desculpas dele antes de ter certeza que ele está dizendo a verdade. Ligo o interruptor na serra de ossos e ela se ativa com um zumbido agudo.

Os olhos do meu meio-irmão se arregalam e ele se debate, mas sua cabeça está presa por uma tira de metal e alguns parafusos que são apertados o bastante para manter seu crânio em posição. Não posso permitir que ele se mova uma fração de milímetro sequer enquanto mexo em seu cérebro.

Magnus inspeciona a sala. — Só estou impressionado como você tem todo o equipamento médico aqui. Nunca tive a impressão de você ser tão hábil em técnicas médicas. Da nossa discussão sobre as circunstâncias da Kath, assumi que você não tivesse nenhuma base médica.

— Oilell ajudou bastante a preparar essa sala. E os experimentos que levaram à transformação da Kath necessitam de conhecimento profundo em sequenciamento de DNA e pesquisa viral. Isso é algo completamente diferente dos meus estudos. Eu já disse pra vocês que meus estudos se concentram na mente e nas várias possibilidades de influenciá-la. É claro que isso requer vastas quantidades de conhecimentos médico sobre o cérebro.

Balanço a serra de ossos na frente do rosto de Tetrach: — Oi, mano! Se lembra de mim? Não se preocupe. Seu sofrimento está prestes a acabar. Não vou nem guardar rancor contra você por você e seus amigos tentarem me estuprar quando eu tinha setenta e quatro, ou devo mencionar todas as vezes que usou sua influência com o pai para isolar a Annia e eu do resto do clã?

Cuidadosamente, coloco a serra de ossos em sua testa e começo a cortar. Um pouco de sangue e tecido espirram para o lado, mas espalhei várias camadas de plástico para facilitar a limpeza. Os olhos de Tetrach rolam em seus globos. Não me importo. Tenho que me concentrar. Caso eu corte fundo demais, isso pode virar um problema.

Falo com o Tetrach para fazê-lo se sentir relaxado: — Fico feliz por você ser um Antigo. Fazer isso com você é tão mais fácil do que com humanos. Não tenho nem que desperdiçar tempo desinfetando tudo.

Finalmente, termino de cortar em um círculo completo e ponho a serra de ossos de lado. O topo de seu crânio sai facilmente e jogo-o em uma das vasilhas de dejetos biológicos.

A seguir são os eletrodos, que são longas, e finas, agulhas.

— Me pergunto se devo começar com voltagens de zero ponto um ou zero ponto dois. Os alemães pararam suas pesquisas nessa direção cedo demais. — Para ter um melhor entendimento do estado de saúde de Tetrach, retiro sua mordaça.

Sua vadia! Quando o pai estiver pronto, ele vai aniquilar este lugar! Ele vai…

Rolo meus olhos: — Definitivamente zero ponto dois volts.

Ajusto a fonte de voltagem e cuidadosamente enfio a primeira agulha em seu cérebro. Bem onde o centro de fala deveria estar.

— … te estuprar pra valer! E então encontrarei aquela cadela que você trata como uma filha e…

Todo seu corpo começa a espasmar e tremer, e seus dentes batem várias vezes antes de eu puxar a agulha de volta por dois milímetros. Seu corpo imediatamente relaxa, mas sua boca ainda abre e fecha em uma tentativa de achar as palavras certas. É só que Tetrach falha em pronunciar seus problemas para mim.

— Sinto muito. Faz um tempo desde que fiz isso e se não for absolutamente exata, coisas assim acontecerão. — Bastardo! Talvez eu deva enfiar uma agulha em seu centro de dor e estimulá-lo diretamente?

Não. Superioridade moral. Eu não sou como o Magnus. Tenho que mostrar que há um jeito diferente de fazer as coisas. Após colocar mais duas agulhas em seu lobo frontal e várias outras em áreas importantes do cérebro, ele lentamente começa a se parecer com um ouriço. Então manipulo as várias voltagens e reduzo aquela que o impede de falar. — Agora estamos pront-

— Eu vou te matar….

Nenhum pouco arrependido. Eu suspiro e faço alguns ajustes.

— Qual o seu nome?

Sua expressão enfurecida relaxa: 

— Tetrach. Qual é a cor do céu?

— Vermelho.

Um pouco demais.

— Tente de novo.

— Azul.

Passamos por uma série inteira de perguntas teste. A princípio, tento influenciá-lo a contar mentiras, então ajusto as configurações para que ele possa dizer apenas a verdade. Após um tempo de alternância entre os dois estados, me sinto confiante em obter algumas respostas úteis.

— O que você pensa de nosso pai?

— Ele é um grande homem com uma visão.

Está mais para um estuprador e maníaco. Junto com imoralidade, uma combinação dessas nunca tem um final bom. — Você sempre teve essa opinião?

— Desde quando ele me disse sobre seus planos para fazer o mundo ser nosso.

Levanto ambas as sobrancelhas.

— Me diga tudo o que sabe.

Ele luta por alguns breves momentos, mas não fala. Suponho que ele ainda pode escolher não falar nada. A indoutrinação dele deve estar muito profundamente enraizada. Ou uma das agulhas não está exatamente no lugar certo. Talvez a que coloquei em seu cerebelo? É sempre difícil chegar na profundidade exata. Dou um leve tapinha com meu indicador, permitindo que ela afunde um pouco mais. Apenas uma fração de milímetro.

Tento soar animada. Como se fôssemos colega: — Vamos lá. Isso não é real. É só um sonho. Podemos falar sobre tudo aqui. Afinal, somos bons amigos. Você também não acha? — Elevo a voltagem que controla seu senso de bem-estar. Pessoas que se sentem bem possuem menos suspeitas.

Tetrach sorri: — Sim. Sempre me perguntei por que não nos damos bem. Você sempre foi a forte entre os filhos dele. A única que se atreveu a desafiar o pai e deixar ele com raiva. Por que você não podia ser como nós? Ele sempre descarrega a raiva em nós quando está puto.

Agora ele está resmungando como um bêbado, mas isso é bom.

— Nós estávamos falando sobre os planos dele. Sua grande visão. Lembra?

Tetrach lambe seus lábios. — Sim, sim. Ele será nosso salvador. Gavin vai nos libertar de todos os outros sobrenaturais. A terra pertencerá apenas aos Antigos. Mas um planeta sem uma sociedade que pode ser mantida não vale a pena conquistar. Então teremos que mudar os Antigos primeiro. Somos individualistas demais como uma raça. Temos que nos tornar mais férteis e menos agressivos para com nossa própria espécie. Levou bastante tempo e esforço pro Gavin resolver o primeiro problema. Mas tivemos um enorme avanço quando começamos a trabalhar junto com os fae!

Tento não permitir nenhuma emoção em minha voz: — Os fae?

— Sim! Gavin já elaborou um meio de controlar nossa nova sociedade influenciando indivíduos-chave com seu feitiço de controle mental. Mas estamos totalmente perdidos em como aumentar nossos números para manter o atual nível de tecnologia. Já foi tentado com os humanos no passado, então abolimos a ideia.

— Então o Gavin conseguiu negociar ajuda dos fae. Ele supriu eles com materiais de tempos em tempos e, em troca, eles compartilharam seu conhecimento sobre como forçar uma fêmea dos Antigos a se tornar fértil. Quando ele tiver tudo que precisa, ele certamente vai se retirar para nossa segunda base para construir suas forças.

— Ele sabe que os fae estão seguindo sua própria agenda, então temos que permitir que eles e os outros Antigos enfraqueçam uns aos outros. Há também planos de usar humanos para criar um inverno nuclear. Os fae e muitas outras raças sobrenaturais não são tão resistentes à radiação quanto nós. Quando o mundo estiver livre de fracotes, poderemos tomá-lo para nós.

Inspiro rapidamente: — Então ele está colaborando com os fae. Me diga, o que são esses materiais com os quais ele os está pagando.

— Pelos anos, nós demos a eles partes de corpo, e também algumas mulheres de nosso clã servo. Os fae ficam muito felizes com tudo relacionado aos Antigos. Em troca, recebemos drogas que deixam os Antigos férteis. Como você acha que Cecília engravidou duas vezes dentro de duzentos anos? Isso é um recorde em nossa espécie, sempre considerando que somos imortais. Não sofremos baixas de doenças ou velhice. Com essa taxa de natalidade, podemos repopular o mundo em algumas gerações.

Dou um tapinha em seus ombros. — Eu entendo. Que plano grandioso. Os outros nunca tolerariam tais ideias. Eles destruiriam tudo pelo qual vocês trabalharam. Nós temos que fugir. Onde fica a segunda base dele? Nós temos que nos juntar às suas forças.

Tetrach começa a rir: — Ele certamente recuou para o marco zero para garantir que o plano reserva funcione. Só em caso dos humanos não usarem força nuclear.

Mordo meu lábio inferior. Tetrach não sabe que os fae já foram ao ataque. Ele esteve dentro de um baú pelo último mês. Gavin pode ter ajustado seus planos. Mas, em todo caso, o conhecimento do que está acontecendo em seu cérebro será útil. — Sim. Gavin certamente foi ao marco zero. Onde fica?

— América. Parque Nacional Yellowstone. A base está exatamente a cem milhas sul do epicentro esperado. Gavin está preparando um ritual para explodir o vulcão sob o parque. A erupção será tão massiva que causará outra era do gelo. A melhor coisa é que essa catástrofe parecerá ser um evento natural. Todos lutarão para sobreviver e enquanto a população humana encolhe, Gavin poderá tomar os outros clãs com seus números superiores. É ainda melhor que o plano com a guerra nuclear. Quando ele tiver controle sobre nossa espécie, ele poderá remover todas as outras.

Ajusto uma das agulhas para deixar Tetrach inconsciente. Então me viro para o Magnus e os outros: — Devo me corrigir. Seu baú pode de fato ser o local correto para alguém como Tetrach e Gavin. Isso não significa que os outros lá embaixo merecem tal destino.

Cecília está ultrajada após esse lembrete macabro de sua escravidão. Suas mãos estão fechadas em punhos e tremendo: — Eu vou matar ele! Vou matar o Gavin!

Tina também está furiosa: — Podemos ter que incomodar os anciões com uma terceira assembleia. Isso é grande demais para apenas nós. Um passo em falso e essa loucura explodirá em nossas faces.

— Ahem. — Magnus aponta para o crânio aberto de Tetrach. — Você pode querer fechá-lo? Nós precisaremos de provas para clamar algo tão ultrajante na frente dos anciões. E não estou tão certo que o baú é um destino melhor afinal de contas.

Eu bufo: — Me chama de melindrosa, mas não aguenta um crânio aberto? Ele não sente nada. Mas vamos parar de discutir. Temos que parar o Gavin a todo custo.

Tina aponta para virilha de Tetrach onde os lençóis formaram uma pequena barraca.

— Você pode querer parar isso primeiro. É nojento.

Inspeciono a barraca. — Ah, é. Definitivamente estímulo demais. E ele é menor que o Magnus.




Ei, se estiverem gostando do projeto e desejarem ajudar um pouco, vocês podem fazer isso acessando o link abaixo, solucionando o Captcha e aguardando dez segundos para ir à nossa página de agradecimentos.

Podem acessar por aqui.


Tradução: Batata Yacon   | Revisor: Delongas


Anterior | Próximo

2 ideias sobre “LOS – Capítulo 40

  1. Alex

    Koroio ela tem livros sobre o conhecimento dos experimentos que os Alemães fizeram durante a guerra nazista que louco

    Curtir

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s