LOS – Capítulo 29

Anterior | Próximo


Capítulo 29:

~Prep~

 


 

“E aprendemos do jeito difícil que coexistência com os outros tinha que seguir regras estritas. Um novo inicio foi necessário. Então nivelamos a primeira cidade e a afundamos no oceano.”

— Uma Memória dos Antigos

 


***Caríntia***

***Magnus***

 

— … aqui vocês podem ver quão impiedosas certas espécies de sobrenaturais são. Eles não valorizam a vida humana e os tratam do mesmo jeito que um humano trataria um inseto…

A TV mostra uma gravação de Sely e de mim. É de quando atacamos o complexo de pesquisa onde a Kath era mantida. Levanto ambas as sobrancelhas e prestamos atenção total. É claro, esses noticiários não mencionam uma única palavra sobre os experimentos. Apesar de o que me interessa, é como eles conseguiram o vídeo!

Pensei ter me certificado que nenhum sinal eletromagnético entrasse ou saísse daquela instalação. Eles tinham algum tipo de sala de servidores que até mesmo o Paul não pôde encontrar? Alguém pode ter recuperado os dados após os meus terem deixado o local. Acho que não faz sentido investigar após o ato estar feito. O vídeo está à solta e tenho que parabenizar quem quer que tenha conseguido passá-lo por mim.

— Você tem algo a dizer disso? — pergunta Tina de seu lugar de sempre na mesa da sala de estar. Me perguntou por que ela ainda está aqui? O clã dela não precisa dela?

— Eu sou famoso? — respondo interrogativamente. Na tela, eu puxo uma mulher de seu esconderijo e bato sua cabeça na mesa. Acho que essa cena em especial poderia causar um alvoroço entre os humanos. Eles são tão exigentes quando se trata do modo de matar. Morto é morto. Não faz sentido perguntar como.

A gravação muda para uma localização completamente diferente. Não conheço o homem que casualmente quebra o pescoço de um guarda de segurança, mas ele definitivamente é um Antigo. — Olha parece que eles também fizeram vídeos de outras pessoas. Parece que eles se prepararam para isso desde muito tempo atrás.

— Os outros no encontro ainda tentarão fazer você receber as consequências. E quem mais tenha sido gravado matando humanos — resmunga ela.

Dou de ombros: — Vamos lá. Isso é irracional. Quem poderia ter se preparado para uma espécie inteira traindo a comunidade sobrenatural? O segredo foi exposto. Com ou sem esses vídeos. Isso apenas mostra o quão longe os fae estão dispostos a ir. E sejamos honestos. Na maior parte desses tão ditos “vídeos de evidência” nós não podemos ser diferenciados de humanos normais.

De repente, Tina aparece na tela. Ela guia um homem em torno de uma esquina, segurando seu braço de um modo muito doloroso. Está claro que dói já que ele está resistindo e berrando. Ela chuta seu joelho, quebrando a perna e deslocando seu ombro simultaneamente. Ele tenta se arrastar para longe, mas ela agarra o tornozelo de sua perna boa e o gira como se fosse uma criança. O vídeo acaba com ele tendo o pescoço quebrado ao bater contra uma parede próxima.

Eu olho para ela: — Pelo menos eu fiz acabar rápido!

A cabeça toda dela fica vermelha de raiva, ela balança seu pinho na TV. — Aqueles merdinhas vão sofrer quando eu puser minhas mãos neles! Nós deveríamos invadir Fada e envia o vídeo para os humanos! Então eles de repente vão largar quaisquer planos de resistir a nós!

Sely entra no quarto, vestindo um belo vestido. Ele é vermelho sangue com pequenas partes de preto aqui e ali. O aperto enfatiza seu decote de um modo maravilhoso e o lado esquerdo é deixado aberto, mostrando muita perna. — Fada pode ser adentrado apenas por fae. Todos sabem disso. O que acham? Vou vestir em Atlantis.

— Vista outra coisa! — berro. — Eu terei que matar metade dos homens que tiverem um vislumbre seu. A congregação acabará em um banho de sangue!

Ele sorri: — Não esperei que você fosse capaz de dar tais elogios. Está feito então. Esse é o vestido. O branco permanecerá um segredo até a cerimônia.

— Cerimônia? — pergunto.

Tina bufa: — Se minha irmã e sobrinha não permitem que eu te mate, então o mínimo que posso fazer é montar uma festa adequada para ela. Mas primeiro você terá que lidar com o marido legal dela. Suponho que a chance seja alta de você ter sua oportunidade na congregação.

Mas sobre que infernos elas estavam conversando enquanto eu não estava presente? — Eu não terei alguma festa estranha na minha casa!

— É por isso que você precisará visitar minha propriedade para isso. Como é próprio — responde Tina com uma voz fria. — É tradição que o marido case na propriedade da noiva. Sely e Annia ainda são Rhondu tanto quanto me diz respeito.

Sely caminha para minha frente, mostrando muita perna. — Eu sempre quis uma cerimônia adequada com aquele que amo. Certamente você não causará um alvoroço por um pedido tão pequeno!?

Meus olhos ficam presos àquele vestido lascivo e na perna dela. Ela disse que o branco permanecerá um segredo? Oh, eu sabia que essa mulher seria problema com “P” maiúsculo! — Apenas use o outro vestido não gerar uma guerra.

Ela sorri e me lança um beijo. — Não causará uma guerra.

Então a Sely nota a TV, onde a enésima repetição de nossa incursão está sendo reproduzida. Os cães da mídia acharam um osso gordo com essa daí. — Puta merda! Como eles puseram os dedos nisso!?

Foco minha atenção nas costas dela e agarro a bunda para puxá-la ao meu colo. Ela guincha, mas senta em cima de mim. Ter ela assim é muito menos frustrante. — Acho que podemos ter certeza que os fae estavam de certo modo envolvidos com aquela instalação. Eles devem ter feito o melhor que podiam para reunir sujeira de tantos grupos de sobrenaturais quanto possível antes de irem a público. Apesar de que devo admitir que estou mistificada quanto a como eles fizeram isso.

Ela grunhe: — Talvez eles tenham dado aos humanos um pouco mais que apenas o cadáver? Um meio mágico de transmitir dados de um ponto a outro. Eles podem ter camuflado como um dispositivo de satélite ou algo similar.

Eu zombo: — Ou alguém naquela instalação era uma planta dos fae. Tenho certeza que a magia deles é forte o bastante para controlar um ou dois humanos.

Tina se levanta e começa a andar de um lado para outro na sala. — Isso é certo. Escutei de outros chefes de clã que eles estão seriamente preocupados que os fae manipulem os humanos a usar bombas nucleares. Instalações nucleares podem ter bastante segurança, mas são completamente desprotegidas contra magia.

Dou uma risada: — A maior parte dos sobrenaturais vive bem no meio dos humanos. Usar nukes acabaria com suas próprias populações. Não acho que os humanos seriam estúpidos assim. Especialmente já que não estamos fazendo nada que mereça tal coisa. Mas você está certa que os fae não se importariam.

Somos interrompidos pelo tocar do meu telefone. Dou uma olhada e percebo que é a Eva. Ela tem meu número desde que conseguiu se esgueirar no lado positivo da Sely. Respondo a chamada: — Sim?

— Me desculpe, mas temos que falar sobre algo importante. Paul, Adam e eu estamos esperando na frente do seu apartamento — responde a Eva.

Franzo meus olhos.
— Desde quando vocês sabem onde moro?

— Ahem. Desde que a Annia contou a minha neta onde encontrá-la? Eu meio que consegui a informação dela — responde a Eva de modo inseguro.

Sely toma seu telefone de mim. — É claro. Nós escutaremos suas preocupações. Estarei na porta em um segundo.

Ela encerra a chamada.

Gesticulo selvagemente com meus braços, incerto do que dizer. — Eles não podem entrar aqui. Eu estou governando este território com minha anonimidade misteriosa. O que eles vão pensar quando virem aquele meu apartamento comum?

— Hahahaha! Você quer dizer desde que a Annia montou o equipamento dela lá? Eles ficarão surpresos. E quando entrarem na berlinde de realidade e virem que há outros Antigos além de você, eles ficarão assustados até os ossos. O que quer que eles queiram, deve ser importante. Do contrário eles não enviariam um grupo de delegados para fazer uma petição. — Sely se levanta, privando-me de sua bunda perfeita.

Não estou tão certo que o Paul e o Adam ficarão humilhados.¹ O homem do lago é um cara destemido e os Krampus são, por definição, imunes a humildade. Chamo Fiacre e Cecília, antes de Tina e eu seguirmos Sely para esperar por ela no saguão de entrada.

— Talvez eu deva chamar Lindwurm. A bocarra dela deve impressionar até um Krampus — resmungo.

Quem é Lindwurm? — pergunta Tina.

Sou salvo de dar uma resposta porque Sely retorna com Eva, Paul e Adam. A vampira está vestida em uma apertado vestido sexy, mas dessa vez a Sely roubou o palco da Eva. Paul está em trajes casuais, enquanto Adam está a todo negócios de terno.

Eva é a primeira que consegue retirar seus olhos do saguão de entrada luxuoso. — Lorde! É uma honra ser permitida tão profundamente em sua casa.

Oh, toda formal hoje?

— O que é tão importante que vocês têm de me visitar em pessoa?

Eva brinca com sua saia. — Você viu as notícias ultimamente? Só estou perguntando porque você tem uma tendência de não se envolver com problemas mundanos.

Levanto uma sobrancelha e cruzo meus braços na frente do peito. O silêncio se estende, tornando-se desconfortável para os três visitantes. Seus olhos vagam de mim para Sely e então para Tina, que é uma completa estranha para eles.

Sely decide que minha tentativa de intimidação se estendeu o bastante. Ela dá um tapinha no ombro da Eva. — Não se preocupe. Nós estamos vendo os noticiários assim como vocês. A situação é precária e estamos cientes disso.

Adam assente: — Nós entendemos que outros territórios têm mais problemas no momento, mas problemas começaram a surgir lentamente em nossa comunidade. Há grupos que atacam qualquer um sob suspeita de ser um sobrenatural. Esses incidentes estão aumentando em número e as pessoas estão com medo. É por isso que os Caciques de território realizaram uma reunião para encontrar possíveis soluções para o nosso problema.

Paul assente entusiasmadamente, o que faz a gordura em todo seu corpo balançar para cima e para baixo.
— O segredo já foi revelado, então esperamos que você nos permita sair do ocultamento para tranquilizar os humanos de que não somos uma ameaça.

Eva se intromete rapidamente: — Na verdade, não temos culpa nessa situação. Após consultar as instituições líderes de cada raça respectiva, esse é o curso de ação que a maior parte das espécies sobrenaturais tomarão. Então não será como se fôssemos o único território a reagir assim. Os únicos que ainda se contêm em fazer um comentário oficiais sobre as ações dos fae são os Antigos.

— Explodir qualquer fae que mostre sua cara em público é oficial o bastante para mim — resmunga o Adam enquanto Fiacre e Cecília entram na sala. Os três visitantes agora estão defrontados com cinco antigos adultos, algo que eles certamente não esperaram quando reuniram a coragem de me visitar em pessoa.

Tina sorri para os três. Tenho certeza que ela tentou acalmar a situação, mas a expressão dela faz toda a ação parecer predatória. — Nós ainda estamos incertos quanto ao que fazer. Vocês certamente sabem que não possuímos nenhum governo central. Nossos anciões convocaram uma grande reunião para decidir uma resposta adequada. Haverá muito debatimento e rosnados, rosnados na maior parte, e certamente haverá uma boa briga entre aqueles que não podem suportar um ao outro. No final, nós provavelmente decidiremos não fazer nada, ou cometer genocídio. Em quem ou quando, isso está escrito nas estrelas.

Eu sorrio para eles: — Por que vocês não voltam e dizem a todos que não irei puni-los por revelar nossa comunidade. Não faz sentido nenhum se esconder se todo mundo estiver se revelando para tentar acalmar os humanos. Isso apenas levantaria perguntas do porquê os sobrenaturais nesta região estão mantendo silêncio.

Finalmente, Eva revela a verdadeira razão para a presença deles: — Ah, é. Quanto a isso. Nós pensamos que você poderia querer se mostrar em público? Como um porta-voz? Já que você é o Senhor deste território? E sejamos honestos. Você possui três quartos da maldita área.

—Não!
—Sim!

Sely e eu respondemos em uníssono. Eu fecho a cara e olho para ela. — Por quê? Não há razão para nos incomodarmos com humanos!

Ela inclina a cabeça: — Por ser uma boa chance de corrigir nossa imagem? Os fae já estão fazendo um trabalho muito bom de nos pintar na pior luz possível.

Eu abro minhas mãos: — E sejamos honestos, eles não estão exatamente mentindo quando se trata de nossas tendências violentas.

Sely chia: — Isso não é algo que os humanos têm que saber!

 


 

Tradução: Batata Yacon   | Revisor: Delongas

 


Anterior | Próximo

3 ideias sobre “LOS – Capítulo 29

  1. Alex

    Acho que vai rolar uma pequena guerra civil nós principais centros de convivência sobrenatural antes de tudo se apaziguar mais eu digo isso no sentido dos humanos acabarem matando mais humanos do que sobrenaturais já que mesmo se revelando ainda rola a desconfiança de ter alguns se escondendo e (Caralho Atlantis foi fundada por antigos e dps afundada por eles que louco)

    Curtido por 2 pessoas

    Resposta
  2. Ryei Estevan

    Ótimo capítulo!
    Não costumo comentar aqui por que eu acho um pouco incômodo ter que preencher tantas coisas,já que o tempo é um pouco curto,vou tentar comentar mais.

    Curtido por 2 pessoas

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s