LoMa – Volume 7 – Capítulo 6

AnteriorPróximo


Escrito por Mishima Yomu/Wai (三嶋 与夢)
Traduzido da versão Inglês do Eternia em  Rain of Snow


O Maior Vilão

 

-Na praça pública diante do portão do castelo-

Soldados equipados com arcos e flechas tinham se reunido em volta de Liam, e tremiam de medo enquanto os bestiais se aproximavam.

Kanami e Enora assistiam de longe, ignorantes ao que Liam tinha em mente.

— O que exatamente ele está pensando? No momento em que apareceu, a primeira coisa que disse foi para abrir os portões!

Kanami, reconhecidamente, não sabia muito sobre guerras, mas ela sabia que deveriam proteger os portões, não abri-los.

Isso era senso-comum para Enora também, e ficou chocada quando os portões realmente se abriram às ordens de Liam.

— Eu não dei essas ordens! Quem foi que abriu os portões!?

Os cavaleiros em volta delas estavam igualmente confusos.

— Enviei alguns homens para checar, mas nenhum retornou.

Mas o que infernos estava acontecendo?

Os bestiais que chegavam na praça estavam sendo lançados para longe no momento que se aproximavam de Liam, sangue e carne se espalhavam para todos os lados, como se um balão houvesse estourado.

A espada nas mãos de Liam atraiu o interesse de Kanami.

— Ele está segurando uma katana.

— Kanami-sama, por acaso sabe o que é aquilo?

— Bem, é, uhh… uma arma antiga do meu país natal, eu acho? 

Ela não tinha visto katanas neste país, mas Liam estava segurando uma.

Os bestiais continuavam a avançar ruidosamente.

Vendo isso, Enora juntou suas mãos e orou:

— Senhor, por favor, proteja-nos todos.

Kanami estava prestes a puxar sua espada e se juntar a luta para apoiar o Liam, mas os bestiais eram lançados no momento que passavam pelo portão.

Era como se estivessem sendo repelidos por uma barreira invisível.

Aqueles na frente pararam, mas estavam sendo empurrados por seus companheiros de trás.

Eles tinham avançado com um momento tão incrível que não era uma fácil tarefa eles desacelerarem.

Liam ria com a visão do portão sendo tingido em vermelho brilhante.

— Fracos, fracos demais! Eles estão sendo arremessados antes mesmo de eu poder atacar!

Ele estava apenas segurando sua espada, mas falava como se os estivesse cortando.

Kanami observava os movimentos de Liam cuidadosamente, mas não parecia que ele estava fazendo nada.

Foi apenas o sacrifício de incontáveis bestiais que estes perceberam a situação peculiar e pararam.

Quando recuaram do portão, Liam decidiu sair.

Kanami e Enora subiram nas muralhas para ver o que Liam estava aprontando.

… Esses caras são tão fracos; eles estão sendo lançados pela pressão do ar da espada.

Me pergunto quantos inimigos já lancei até agora.

— Agora, quem é que está liderando esses fracotes?

É ótimo exercer tanta força contra os fracos.

Sempre que esmago meus inimigos, tenho um senso de realização, como se eu provasse para mim mesmo que sou forte.

Que não sou eu sendo caçado aqui.

São eles sendo caçados, e eu sou o vilão.

Quando ponho os pés para fora, percebo que a cidade foi cercada pelos bestiais.

Um bestial semelhante a um leão se adianta enquanto manuseia um machado gigante.

Pelo modo que os outros bestiais estavam se comportando, era claro que esse daí era seu líder.

— É você o Senhor dos Demônios? 

Em resposta à minha pergunta, o leão balança seu machado.

— Você é só um humanozinho!

Ele é tão lerdo que acabo resistindo à vontade de bocejar.

Me esquivo do ataque por um fio de propósito e continuo a fazer minha pergunta.

— Ei, eu perguntei se você é o Senhor dos Demônios ou não. Me responde.

Chuto seus joelhos após ele balançar seu machado.

Seu equilíbrio se desfaz, e agarro sua juba e bato seu rosto no chão.

O leão me encara com olhos arregalados que refletem sua descrença.

— Como!? Como você está me segurando com braços finos assim!? 

— A densidade de nossos ossos e músculos é fundamentalmente diferente. Mais importante, você é o Senhor dos Demônios?

— … Não sou.

O leão responde enquanto luta em vão para escapar de mim.

Deixando isso de lado… ele realmente parece uma fera, uma fera caminhando em duas pernas.

Eu tive um júnior na minha vida passada que costumava não calar a boca sobre orelhas de gato, mas não consigo me identificar nem um pouco.

Vários dos outros bestiais lançam flechas em mim enquanto intimido o leão.

Tiro os projéteis iminentes de fora do caminho, mas parece que eles acham que as flechas desapareceram no meio do voo, já que soltaram exclamações.

Um momento depois, os bestiais que me atacaram são arrastados para suas sombras.

… Deve ser a Kunai.

É bom que ela seja entusiasmada com seu trabalho.

Bem, é óbvio que morreriam após tentarem me atacar.

Solto o leão, mas ele pega seu machado e me ataca quase imediatamente.

Continuo de onde paramos enquanto evito seus golpes.

— Se importa de me dizer onde o Senhor dos Demônios reside? Estou disposto a ir lá pessoalmente. Você só precisa ser meu guia.

— Ao contrário de vocês, míseros humanos, o Senhor dos Demônios tem uma posição muito exaltada! É uma blasfêmia sequer sugerir ter uma com o Senhor!

— Ah, é mesmo? Se é assim, você pode morrer.

Ele será explodido se eu liberar meu Lampejo-Único, então recorro a simplesmente cortar sua cabeça.

Puxo minha espada e checo duas vezes para garantir que estou cortando devagar.

Os bestiais que estiveram assistindo das laterais avançam contra mim em fúria.

— Silêncio.

… Intimidados, eles param.

Balanço minha espada de um modo visível para os bestiais.

No momento seguinte, dúzias de guerreiros bestiais têm suas cabeças decapitadas.

— Darei a vocês duas opções para escolherem. Vocês podem me obedecer, ou podem morrer me enfrentando. A escolha é sua.

Finalmente captando ofato de que estamos em níveis completamente diferentes, eles se encaram.

Frente ao meu poder esmagador, os guerreiros caem de joelhos… Ahhh, que bela visão de se testemunhar.

Se quiserem culpar alguém, culpem a Rainha deste país por invocar um vilão como eu para bancar o herói deles.

Apesar dos outros estarem mostrando atitudes servis, um bestial pula da multidão.

É alguém com orelhas e rabo de cachorro.

Ela não parece uma fera. À primeira vista, ela parece uma garota de cosplay.

— Ueu ou! Aaaaa Phiadu…

Parece que ela está tentando me dizer algo, mas sua boca não está funcionando direito.

E também, suas orelhas triangulares estão caídas ao invés de estarem eretas, e ela está tremendo com seu rabo encolhido.

Seus joelhos estão tremendo como se prestes a se render.

Oh, e a propósito, eu amo cachorros.

Eu costumava ter um cachorro que também tremia e encolhia o rabo sempre que eu dava bronca nele.

Ver essa criança está me fazendo sentir nostalgia.

— Você é uma canina, não é? Irei te perdoar já que é um cão. 

Os olhos da garota se aguçam.

— Ew nwão soum cão!

… Ku! Não tenho ideia do que ela está falando.

Ela está tão aterrorizada que sua língua parece ter parado de funcionar.

Que adorável dela. Estou tendo problemas em me segurar.

Agora que estou ciente de que ela é uma canina, ela está começando a parecer extremamente fofa.

Tento acalmar a jovem canina na minha frente.

— Vamos nos acalmar, tá bem? Inspira… expira…

— Suuu….haaa….

Ela está realmente escutando as palavras de seu inimigo e respirando fundo para se acalmar.

Que estupidamente adorável da parte dela.

Faz tanto tempo desde a última vez que cuidei de um cachorro.

Eu quero um cachorro, mas estava hesitando em comprar um.

Afinal, ele eventualmente morreria, e isso me deixaria realmente triste.

Hmm, mas e se fosse essa garota?

A bestial na minha frente se apresenta agora que sua boca funciona direito.

— Meu nome é Chino! Sou a filha de Glauss, o mais forte guerreiro da nossa tribo!

— Hmm. Então, você é um cachorro, não é?

— Está zombando de mim!? Nós somos lo… 

Logo quando estava prestes a me sentir desapontado por ter errado, escuto alguém berrar:

— Sim! Somos cachorros!

Me viro na direção do berro e avisto um bestial parecido com essa tal de Chino na minha frente.

Por sua aparência similar, acho seguro assumir que eles se conhecem.

Chino exclama em surpresa.

— M-mas pai!! Somos orgulhosos lob….

— Cães. Chino, nós somos cães.

— Ehhh!?

Chino não parece convencida, mas o bestial se adianta e declara-se um membro da tribo canina.

— E você é?

— Sou Glauss, pai da Chino. Posso ter a honra de saber vosso distinto nome?

É gostoso ver esse tal de Glauss ajoelhado na minha frente, então ponho minha espada de volta na bainha.

— Sou Liam, Liam Sera Banfield, e seu mestre de agora em diante. Me venere. Me honre. Me siga! Se alguém for contra, se prontifique. O fatiarei em pedaços.

Os bestiais se ajoelham silenciosamente.

Isso é realmente gostoso.

Apenas Chino mantém-se não convencida.

— E-eu sou um lobo!

Olho para Glauss, que dá de ombros e me diz:

— Essa menina admira bastante lobos. Cães e lobos são como parentes, então…

Eu quero ela mais que nunca agora.

— Que garota fofa.

Um cachorro que pensa ser um lobo. Ela é como um acúmulo de moe.

Glauss inesperadamente oferece sua filha para mim.

— Estou disposto a oferecer minha filha como prova de nossa lealdade.

— É sério? Realmente sério? Ela é sua filha?

Você realmente está dando ela tão facilmente!?

Estou abalado por dentro, mas Glauss parece estar calmo.

… Hmm, já que a civilização aqui não é muito desenvolvida, acho que crianças não são bem tratadas.

Não é como se fossem tratadas melhor em nações intergaláticas, todavia.

Vida humana significa muito pouco neste mundo.

— Ela é velha o bastante para ser independente.

Tenho a permissão do pai para pegá-la, mas Chino não parece muito disposta.

— Pai! Por favor, reconsidere! Eu não quero!

Glauss ignora seu protesto.

— Fica quieta e obedece, o destino da nossa tribo está em jogo aqui.

Chino fica deprimida após ser encarada por seu pai.

Ela está se comportando exatamente como um cão, eu gosto disso.

Meu cachorro também costumava ficar deprimido sempre que eu dava uma bronca.

Eu acho que valeu a pena ser convocado aqui só por isso.

Não só consegui escapar da encheção do Brian, coloquei as mãos em uma adorável mascote também.

— Ótimo, me certificarei de cuidar bem da sua filha. Oh, e sou seu chefe de agora em diante. Se agirem contra mim, irei dizimar sua tribo, então esteja ciente disso.

Retorno para a cidade jubilante com os bestiais ainda se curvando para mim.

Dentro do saguão de audiências do palácio real, Liam estava sentado no trono e conversando com os bestiais de alto escalão.

— Um subordinado do Senhor dos Demônios?

— Sim, o Rei Leão Nogo era um dos Quatro Reis Celestiais subordinados ao Senhor dos Demônios.

— Eles parecem uma chatice de se lidar, vou passar. Vamos simplesmente derrotar o Senhor dos Demônios e acabar com isso.

Com suas pernas cruzadas, ele declarou sem interesse nenhum que marcharia em frente e derrotaria o Senhor dos Demônios.

Kanami, que estava escutando, começou a criticar a atitude de Liam.

— Ei, qual é a da sua atitude, hein!? Há pessoas sofrendo por aí! Não acha que devemos salvá-las!?

Havia pessoas sendo oprimidas pelos Quatro Reis Celestiais, mas Liam não estava interessado nelas nem um pouco.

— E o que isso tem a ver comigo? É senso comum visar o líder inimigo em batalhas. Amadores deveriam calar a boca.

— A-amadores!?

— Alguém que sequer consegue matar seus inimigos não tem direito de me responder. Você hesitou, não foi? Pessoas como você são inúteis em guerras, então apenas se enclausure neste castelo. Não há necessidade nenhuma de você se preocupar. Irei derrotar o Senhor dos Demônios para passar o tempo.

Passatempo… Para o Liam, a batalha de agora há pouco com os bestiais não fora mais que uma atividade divertida.

A batalha tinha sido terrível, mas o Liam estava chamando isso de um “passatempo”.

Kanami cerra seus punhos.

— Tantas vidas foram perdidas.

Liam fita Kanami com olhos frios enquanto ela pensava de volta em todos os soldados que tinham morrido.

— Então? Essa é a guerra deles em primeiro lugar. Não é problema meu. Na verdade, eles deveriam estar me agradecendo. Se eu não estivesse aqui, eles teriam sido aniquilados.

— Você deveria ser o herói deles, igual a mim! 

— E foi por isso que me incomodei em ajudar. Oh, e não fui agradecido ainda. Rainha Enora, ande logo e prepare um banquete de celebração para mim.

Enora avançou com uma demonstração arrogante de atitude.

— … Bravo, apesar de ser verdade que fomos capazes de vencer a batalha graças a vocês dois, não fui minimamente informada sobre os bestiais entrando no castelo como seus subordinados.

— Mas é claro. Eu não falei pra ninguém, afinal. Não é como se eu precisasse da sua permissão ou coisa do tipo.

— Sofremos sob a opressão dos bestiais por muitos anos. Nem nós, nem o povo aprovarão isso.

Os bestiais atormentaram o Reino de Aarl por um longo tempo.

Sentindo o ódio e tristeza na voz de Enora, Kanami escolheu ficar em silêncio.

Entretanto…

— E por que eu preciso convencer alguém? Vocês só precisam engolir. Com quem acham que estão falando, afinal?

… Liam não dava a mínima para o que eles pensavam.

Um jovem cavaleiro puxou sua espada por indignação e a apontou para Liam.

— Dê uma mão e ele toma um braço! Como se atreve a falar com Vossa Majestade a Rainha assim! Não só convidaste esses animais para o castelo, até mesmo… sua ajuda não é mais necessária! Iremos massacrar os bestiais do lado de fora também!

Os Cavaleiros e os ministros que concordavam com suas palavras começaram a soltar suas reclamações.

Kanami sabia que a fúria deles era genuína.

(Não tem como eu pará-los.)

Ela não aprovava genocídios, mas seria hipócrita da parte dela dizer “vocês não devem matar” para aqueles que tiveram suas famílias massacradas.

Mesmo se dissesse, nada mudaria.

Liam se levantou lentamente, e encerrou a distância entre si e o jovem cavaleiro em um instante.

Então, ele arrancou a cabeça do cavaleiro barulhento com sua mão.

Isso foi o bastante para silenciar a multidão.

Todos encararam Liam com medo.

(O quê!? Q-quando foi que ele se moveu?)

Ninguém tinha sido capaz de seguir minimamente os movimentos de Liam.

— Esses sacos de lixo parecem estar sob a impressão errada. Vocês não são vencedores, são perdedores. Fui eu quem venceu. Vocês são meramente sobreviventes, e agora que os bestiais juraram suas lealdades a mim, eles são minha propriedade… Lixo como vocês não devem sequer pensar em tocar na propriedade de outros a menos que tenham vontade de morrer.

A expressão no rosto de todos se afundou quando Liam declarou que a vitória era apenas dele.

Enora expressou sua reclamação.

— C-como pode ser!? Nós derramamos tanto sangue por esta guerra! É arrogante demais de vossa parte dizer que a vitória é apenas sua!

Kanami, que não conseguia mais suportar a atitude de Liam, se juntou ao protesto.

— Sua personalidade é péssima! Você sequer sabe o quão desesperadamente essas pessoas… o-o que foi?

Liam caçoou do protesto veemente de Kanami e Enora.

Então, um momento depois, ele agarrou sua barriga e começou a rir em voz alta.

— Derramaram sangue? Se desesperaram? Vocês fizeram o que deveriam fazer, nada mais, e nada menos. É tão engraçado assistir vocês tentando se gabar de quanto esforço fizeram e blá blá blá.

Kanami não conseguia acreditar no que acabara de ouvir.

Liam seguiu para se dirigir a, não, para dar um sermão para Enora.

— Você é a regente deste reino. Então e daí que você precisou se esforçar muito? E daí se você teve que derramar muito sangue? Por acaso você é burra ou o quê? … Isso são apenas as responsabilidades básicas de um governante. Suas conquistas sequer são dignas de serem avaliadas.

Enora deu um passo para trás devido ao peso das palavras de Liam.

Liam a pressionou ainda mais ao dar um passo para frente.

— É frustrante ver pessoas como você. Se você tem tempo para ficar flertando com os cidadãos, faça seu trabalho direito. Por que está desperdiçando seu tempo se preocupando com as pessoas?

— Fler… perdão. O que um homem como você saberia!? Eu simplesmente estive fazendo o que posso para acalmar os cidadãos que tiveram de aguentar todas essas dificuldades durante a….

— Ceeerto, isso deve ser a única coisa que é capaz de fazer com suas habilidades carentes, não é? Bem, não é como se eu não entendesse. Você deve estar apavorada, apavorada que o povo vá começar uma revolta e fazer a cidade desmoronar por dentro.

Após dar umas boas risadas, Liam voltou a sua discussão com os bestiais sobre a situação futura, completamente ignorando Enora e seus súditos.


Brian (´ω;`): — Isso é doloroso. As coisas estão desmoronando aqui no território Banfield, mas o Senhor Liam parece estar se divertindo sozinho. Isso é doloroso.


Tradução: Batata Yacon   |   Revisão: Delongas


Ei, se estiverem gostando do projeto e desejarem ajudar um pouco, vocês podem fazer isso acessando o link abaixo, solucionando o Captcha e aguardando dez segundos para ir à nossa página de agradecimentos.

Podem acessar por aqui.

Ou Aqui.


AnteriorPróximo

6 ideias sobre “LoMa – Volume 7 – Capítulo 6

  1. andre cruz

    isso mesmo, herios enfadonhos que nao conseguem ir atras do que querem por medo do que os outros vao pensar, se quer governar pela força, faça com um objetivo claro e aniquile tudo o que for contra, faça o bem aqueles que te fazem o bem e faça o mal aqueles que te fazem mal sem deixar rancor, somente pavor

    Curtido por 2 pessoas

    Resposta
  2. DANIEL BENTO

    Obrigado pelo capitulo!!
    A história é meio estranha, ao mesmo tempo que ela é muito leve com as decisões do Liam de uma outra pra outra ela muda completamente e é sempre bom vermos o quanto o Liam é forte, mas ainda falta um personagem para dar emoção nas batalhas, já que o Liam é muito superior a todos e não tem oponentes.

    Curtido por 1 pessoa

    Resposta
  3. Thiago Morgado

    Essa é a primeira vez que eu vejo o Liam agir de uma forma que é próxima a de um vilão. Muitas das coisas que ele falou são verdades duras de se ouvir, eles realmente estavam comemorando a vitória de uma unica pessoa como se fosse a vitória de todo um exercito e ainda reclamaram com ele por ter poupado os “demônios”, mas essa é a primeira vez que eu vejo o Liam parecer um vilão para tanta gente. Como isso vai afetar a relação dele com a Kanami é a minha duvida

    Curtido por 2 pessoas

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s