LoMa – Volume 5 – Capítulo 3

AnteriorPróximo


Escrito por Mishima Yomu/Wai (三嶋 与夢)
Traduzido Originalmente ao Inglês por Kuroinfinity


Sanções Econômicas

 

Uma grande comoção havia se espalhado pela corte imperial.

O primeiro-ministro andara até os aposentos de Linus.

— Vossa Alteza Linus, você sabe o que acabou de fazer?!

O Príncipe olhava pela janela.

Seu reflexo mostrado no vidro sorria.

— Primeiro-ministro, eu sei que possui uma alta opinião do Conde Banfield, mas tal favoritismo não significa nada para mim.

— Vossa Alteza… poderia ser que impôs essas sanções só porque ele não se juntou à sua facção?!

O primeiro-ministro tinha um nível considerável de poder dentro do Império.

Porém, certas facções não gostavam disso.

Uma delas era a de Linus.

— A Casa Banfield criou um bocado de rancores entre a aristocracia. Eles precisam ser punidos um pouco. Não é nada demais, tudo o que estamos fazendo é nos recusar a comprar seus metais raros.

O ponto era, não apenas o Império, mas todas as companhias envolvidas com Linus estavam envolvidas no boicote.

Tirando vantagem disso, a facção de Calvin e muitas outras também estavam participando.

O primeiro-ministro percebeu que nada mudaria não importando o que ele dissesse, e imediatamente desistiu.

— … Vossa Alteza, em toda era se encontra aqueles que parecem ser escolhidos pelo destino, nascidos com a sorte do seu lado. A menos que a sorte os abandone, não é uma sábia decisão enfrentá-los.

Linus se virou para o primeiro-ministro.

— E eu não sou sortudo o bastante de nascer na família real como o segundo Príncipe? Está seriamente dizendo que eu perderia para algum nobre rural que cresceu em áreas remotas?

O primeiro-ministro sacudiu sua cabeça.

— Já fizeste sua escolha, então não direi mais nada, mas Vossa Alteza, já se esqueceu o que acontecerá com aqueles que perderem essa guerra faccional?

— Como poderia? Independentemente, ainda estou vivo, não estou?

Na luta pela sucessão, a vida de Linus esteve em risco mais de algumas vezes, ainda assim, ele sempre saiu por cima.

Ele tinha confiança em suas chances.

— Se ele realmente for forte assim, então o perdoarei após se curvar a mim.

— … não diga que não o avisei.

Após deixar a sala, o primeiro-ministro imediatamente entrou em contato com Serena — a empregada atualmente trabalhando escondida na Casa Banfield.

◇ ◇ ◇

O dia em que eu iria me encontrar com Vossa Alteza Cleo.

Vestido em trajes cerimoniais e cercado por Cavaleiros, eu cheguei na instalação de visitantes localizada próxima ao palácio interno.

Homens sem afiliação com a família real não tinham permissão de entrar lá, então qualquer assunto precisava ser tratado em um ambiente supervisionado.

Conforme esperávamos lá, Klaus parecia estar silenciosamente entrando em pânico.

Ele era um Cavaleiro que me tinha sido recomendado pela Amagi.

Alguém de pés no chão e humano, com uma ética de trabalho modesta, ela o avaliara altamente.

Como esperado, eu não podia ir contra os desejos dela e coloquei uma boa pessoa como ele ao meu lado.

Mas para compensar por isso, deleguei Chengshi… uma Cavaleira escolhida por sua aparência, como vice dele.

Uma bela Cavaleira era uma necessidade.

Era importante ter equilíbrio.

Ter apenas velhotes como meus guardas era broxante.

— Senhor Liam, recebemos uma mensagem urgente do território Banfield.

— Uma mensagem urgente?

O relatório de Klaus não era nada além de um incômodo enquanto eu tentava relaxar tomando chá.

— Sim. Há rumores se espalhando pela corte imperial de que sanções econômicas logo serão impostas na Casa Banfield. Já foram confirmados como verdadeiros.

— … e o conteúdo das sanções?

— Irão restringir os metais raros vendidos pela Casa Banfield.

Em suma, estavam praticamente dizendo, “Não faremos mais negócios com você!”

Mesmo se eu vender através dos meus mercadores contratados, parece que serão enormemente taxadas.

Isso significava que eu não podia vender metais raros para lugar nenhum no império.

— Entendo… quem está por trás disso?

— Vossa Alteza Imperial Linus.

— Ah, aquele cara. Acredito que seja o segundo príncipe na linha de sucessão ao trono? Acho que ele está se vingando depois de eu me recusar a entrar na facção dele.

Klaus parecia nervoso.

Mas eu não estava preocupado.

Desde que eu possuísse o guia olhando por mim, eu nunca perderia, e para início de conversa, uma coisa desse nível não era nada pra mim.

— O que devemos fazer?

— No momento, minha maior prioridade é me encontrar com Vossa Alteza Cleo. Pensarei em contramedidas após retornar… bem, pode convocar meus mercadores para uma reunião?

Agora você conseguiu, Vossa Alteza Linus.

Acha que pode tentar me chutar e escapar com isso, sem chance.

Com isso, eu oficialmente reconheci o Príncipe como meu inimigo.

— Irá realmente arrumar briga com Vossa Alteza Linus?

— Essa frase está errada, Klaus. É ele quem está arrumando briga comigo.

— N-não, não fomos nós quem começamos isso? Afinal, fomos nós que recusamos o convite dele em primeiro lugar.

Klaus parecia estar entendendo algo errado.

Vendo que havia olhos em todo lado, gesticulei para que ele se aproximasse antes de falar em um tom quieto:

— Eu não gosto de como ele me convocou enquanto exigia que eu curvasse minha cabeça. Embora eu não teria problema algum em fazer isso se ele já tivesse sido confirmado como o próximo Imperador.

— … Ele é um dos candidatos mais fortes, todavia.

— Precisamente, um candidato.Ainda não está gravado em pedra. Klaus, eu não recusei o convite do próximo Imperador, porque a pessoa que eu escolher sucederá o trono. Não cometa esse erro de novo.

Se alguém quisesse minha ajuda, era fácil.

Tudo o que precisavam fazer era se curvar e implorar que eu me juntasse.

E só isso.

Como minha marionete, parecia que Vossa Alteza Cleo seria a melhor escolha.

Eu seria o maior aliado de sua facção.

Ele não seria capaz de fazer nada que me irritasse.

Como esperado, Cleo era o mais apropriado para ser Imperador de acordo com os meus objetivos.

E o atual Imperador, Príncipe Calvin e Príncipe Linus — os três candidatos com as maiores chances de serem meu verdadeiro inimigo — precisavam desaparecer.

Do contrário, eu nunca seria capaz de viver em paz.

Por essa razão, os esmagarei a todo custo.

Dois deles morrerão como dano colateral sem nenhuma conexão com meu verdadeiro inimigo, mas eu não ligava.

Qualquer um que ameace minha paz é um inimigo!

Enquanto passávamos tempo assim, os Cavaleiros guardando o palácio interno apareceram.

— Conde Banfield, Vossa Alteza Cleo oferece suas saudações. Por favor, deixe suas armas aqui antes de passar pelo portão.

Eles estavam sendo vigilantes, mas isso não era anormal considerando que envolvia a família real.

Os Cavaleiros em minha guarda pareciam nervosos.

Isso porque, apesar de raros, sabia-se que ataques furtivos no palácio interno ocorriam.

— Então finalmente me encontrarei com Vossa Alteza Cleo.

Com esses pensamentos em mente, deixei minha arma com os guardas após ser checado, e passei pelos portões para me encontrar com o Príncipe.

◇ ◇ ◇

A sala de espera de onde Liam havia acabado de sair.

Cercado pelos guardas do palácio interno, os Cavaleiros de Liam não podiam deixar de ficar nervosos.

Isso era especialmente válido para o capitão Klaus.

(Ele acabou de declarar desrespeito grandiosamente na frente do palácio interno. Ele é tão grande assim ou apenas outro tolo? Eu honestamente não consigo dizer.)

De acordo com o que Klaus havia vivido até agora, Liam definitivamente não era nenhum peixe pequeno.

Muitos Cavaleiros se juraram a ele por essa exata razão.

Porém, havia uma Cavaleira em meio a esse grupo sorrindo alegremente com esse desenrolar.

Era Chengshi.

— … isso é bom. Parece que as coisas ficarão divertidas logo!

Corando excitadamente, Chengshi estivera coçando por uma briga desde que recebera sua posição.

Se fosse mal lidada, ela poderia até ter atacado Liam ali mesmo.

Esse era o tipo de Cavaleira que Liam havia posicionado ao seu lado.

(Senhor Liam, me dá um descanso! Por que trouxe essa pessoa em uma ocasião tão importante?!)

Klaus endireitou suas costas, ajeitando sua aparência na superfície, enquanto seu estômago doía durante todo esse tempo.

◇ ◇ ◇

Para Cleo, seu primeiro encontro com Liam podia apenas ser descrito como chocante.

— É um prazer conhecê-lo, Vossa Alteza.

— … Me sinto do mesmo modo, Conde.

Como um indivíduo que havia se encontrado com numerosos membros da família real imperial, Cleo tinha perdido sua voz momentaneamente após testemunhar a atmosfera a aura de Liam.

Esses tipos de pessoas apareciam ocasionalmente por volta de toda era.

Escolhidos abençoados com talento, sorte, e um certo aspecto que não podia ser compreendido por pessoas comuns.

Se alguém tivesse até mesmo um traço desses, teriam sucesso garantido na vida, mas a pessoa na frente de Cleo tinha tudo.

Os instintos que havia afiado através de seu treinamento instintivamente sabiam disso.

(Mesmo ele tendo sido privado de sua espada, ainda parece que poderia me matar em um instante.)

A expressão de Lysithea — atualmente atuando como sua guarda — se afiou a uma de completa vigilância.

Liam sentou-se em uma cadeira e começou a falar, mas a atitude que assumia não era uma que deveria ser usada ao se falar com um membro da família real.

— Eu tinha planejado oferecer meus cumprimentos e apreciar uma discussão com você, mas infelizmente uma coisa apareceu. Então sejamos curtos… O que você quer?

Sendo repentinamente questionado sobre isso, Cleo sentiu vergonha e frustração surgir em si como aquele em posição inferior.

Mas imediatamente jogou de lado esses sentimentos.

(Eu sou praticamente um mendigo. Não tenho qualquer vantagem para oferecer ao Conde no momento.)

Quando Cleo se sentou também, sua irmã mais velha — [Cecília Noah Albalate] — entrou na sala para servir chá.

Liam bebeu sem nenhuma hesitação.

— Realmente tem culhões, Conde. 

Ao ouvir isso, Liam irrompeu em uma risada.

— Só isso realmente já te surpreende?

Uma declaração que implicava que ele não tinha o menor medo de Cleo.

Mas era a verdade.

A impressão que Lysithea tinha dele parecia estar caindo, mas ela não interferiu na conversa.

— Já que está com pouco tempo, serei direto, junte-se a minha facção e apoie minha ascensão ao trono. …… Em troca, quando eu me tornar Imperador, lhe darei tudo o que desejar. Porém, não posso garantir que cumprirei essa promessa.

Tanto Cecília quanto Lysithea ficaram surpresas pela atitude de Cleo.

Mas a expressão de Liam não mudou.

(Pois bem, como ele responderá? Mesmo se perder a paciência, ficará tudo bem.)

Cleo não sabia o que Liam queria dele.

Essa era a coisa mais assustadora sobre essa situação.

Mas contrário às suas expectativas, Liam parecia… intrigado pela candidez de Cleo.

— Nada mal. Não odeio atitudes assim. Não se preocupe, eu sabia que você não seria capaz de me recompensar com o quão impotente és agora, Vossa Alteza.

Ele retornou a conversa de volta ao Cleo de modo passivo-agressivo.

Mas Cleo não culparia Liam por sua rudeza.

— É verdade, eu não tenho poder nenhum. É por isso que estou perguntando o que quer em troca do seu suporte.

— A resposta é simples, eu quero que você se torne Imperador.

— O quê?

Ele estava sendo sério? Cleo não pôde deixar de ficar surpreso com a expressão séria de Liam.

Sua atitude era firme e preenchida de confiança.

— Você é doido? Não sabe das minhas circunstâncias?

— Oh, eu sei delas, e é exatamente por isso que escolhi apoiá-lo. Permita-me deixar isso claro, você não me escolheu, eu escolhi você. Lembre-se disso.

Sua arrogância estava além do chocante, ao ponto de ser quase respeitável.

— Que atitudezinha considerável essa sua.

— Já comecei a brigar com Vossa Alteza Linus, então já estou muito além do ponto de estar tendo dúvidas.

Com essas palavras, a sala caiu em silêncio.

— … com meu irmão mais velho?

— Eu realmente estou aqui para apoiá-lo. Vossa Alteza Cleo, por favor, não hesite em dizer qualquer coisa que quiser, e eu darei a ti o assento de Imperador.

Cleo ouvira rumores sobre Liam ser um menino prodígio, mas a pessoa em sua frente era muito mais.

Pela primeira vez em muito tempo, Cleo sentiu seu coração bater em animação.

(Que pessoa interessante. Embora eu tenha visto muitas pessoas confiantes durante meu tempo na corte, nunca vi ninguém tão inabalável em suas crenças. Até Linus tinha suas dúvidas sobre se tornar Imperador.)

Naquele momento, Cleo decidiu apostar sua vida em Liam.

— Como eu disse antes, Conde. Eu quero tudo. Fundos, recursos humanos, poder marcial, tudo o que puder oferecer.

Para aumentar sua posição, Cleo não precisava apenas de uma enorme quantidade de dinheiro, mas também da mão de obra requerida para realizar seus planos.

Porém mais que qualquer coisa, ele precisava do poderio militar da Casa Banfield ao seu lado.

Liam respondeu enquanto tomava um gole de seu chá.

— Tenho três mil naves aguardando de prontidão em um planeta próximo enquanto estou aqui na capital imperial. Esse é o máximo que posso mover no momento.

Os olhos de Lysithea se arregalaram quando ouviu isso.

Colocar três mil naves sob o comando imediato de Cleo seria uma incrível dádiva para suas atuais circunstâncias.

— Três mil?! Ah, n-não, por favor, perdoe-me.

Liam não pôde deixar de dar um riso divertido após ver Lysithea apressadamente mover-se para se controlar.

— Oh, isso não é o bastante? Nesse caso, chamarei mais doze mil. Por favor, use-as para mostrar a verdadeira força de Vossa Alteza Cleo.

Ouvindo esses números, Lysithea não pôde deixar de cair em silêncio pelo choque.

O mesmo para o Cleo.

— … Eu aprecio, mas não acho que posso gerenciar tantas assim.

— Sério? Bem, isso é problemático… Oh, já sei! Atualmente tenho uma Cavaleira cujos talentos estão sendo desperdiçados em espera. Irei posicioná-la ao seu lado, e ela também poderá servir como ponto de contato comigo.

Quando Liam proferiu essas palavras, uma imagem holográfica se materializou no ar.

Os rostos de duas pessoas foram mostrados, mas Liam gesticulou para uma delas.

— Seu nome é Christiana. Deixando a personalidade dela de lado, é uma excelente subordinada minha, então use-a como quiser.

Após ouvir o nome da Cavaleira, Lysithea não pôde deixar de exclamar.

— Christiana? Brigadeiro-general Christiana?!

Cleo teve que encarar sua irmã levemente antes que ela se acalmasse em vergonha.

— … ela é famosa?

Com a conversa já interrompida, Cleo se dirigiu à sua irmã.

Embora Liam não parecesse se importar.

Ou melhor, ele parecia entretido.

— S-sim. É uma Cavaleira que se graduou da academia de oficiais com notas exemplares. Altamente vista como oficial, até trabalhou diretamente sob o primeiro-ministro imperial múltiplas vezes.

Para ser capaz de delegar tal indivíduo para o lado de Cleo tão facilmente…

Parecia que Liam tinha uma multidão de subordinados talentosos ao seu dispor.

— Podes realmente abrir mão de uma Cavaleira dessas?

Quando Cleo o perguntou isso, Liam respondeu com uma oferta interessante.

— Eu não ligo. Precisa de mais?

Fundos quase inesgotáveis.

Uma excelente gama de recursos humanos.

Incrível poder militar… e o pessoal necessário para utilizá-lo ao máximo. 

Cleo sentiu um calafrio correr pelas suas costas.

(O chamam de menino prodígio, mas isso apenas roça a superfície. Mesmo se eu realmente me tornar Imperador, o que ele possivelmente poderia querer de mim?)

— Eu não gosto de fazer suposições sobre o futuro, mas como quer que eu lhe pague por isso, Conde?

Liam sorriu com as palavras de Cleo.

Para providenciar tanto suporte assim, ele certamente deve estar em busca de algo.

Uma posição importante no Império?

Ou…

— Eu quero poder fazer o que quiser no meu território. Se puder aceitar isso, então farei de você o Imperador.

… Cleo inclinou sua cabeça:

— É só isso? Você realmente me oferecerá o seu suporte apenas por isso?

— É claro! Embora naturalmente, tirarei proveito máximo desta transação. Mal posso esperar pela nossa relação mutuamente benéfica no futuro, então vamos nos dar bem, tá bom?

Ele estava se esquivando da questão.

Cleo não pôde deixar de se sentir ansioso sobre o futuro quando sentiu isso.

(Ele planeja tomar controle do Império por trás das cortinas? Embora… isso realmente não seria tão ruim. Se fosse alguém assim, ele certamente se sairia muito melhor que eu.)

Mesmo após uma breve investigação, o nome de Liam era encontrado amplamente associado a um governante virtuoso.

Ele não saberia a verdade a menos que realmente acontecesse, mas Cleo estava certo de que Liam seria um melhor monarca.

— … Antes de mais nada, minha maior prioridade é minha sobrevivência. Conde, terminemos o resto dessa conversa em uma outra data.

(Não importa o que aconteça, esse cara apenas terá o que quer se eu viver. Não faz sentido finalizar as recompensas a esse ponto.)

Tendo terminado seu chá, Liam rapidamente se levantou.

— Isso pareceu perfeito. Vossa Alteza Cleo, espero vê-lo de novo em breve.

Assistindo as costas de Liam se retirando, Cleo não pôde deixar de tremer.

(… Eu estava com medo dos meus irmãos mais velhos e desesperadamente estendi a mão a ele em busca de ajuda, mas posso ter acabado trazendo uma pessoa absurda para a guerra de sucessão.)


Brian(*´ω*): — Tenho um novo amigo de dores. Este Brian aqui está feliz por não estar sozinho.

Klaus:(;゛゜’ω): — Minha dor no estômago é DOLOROSA!!!


Notas:

Delongas:  kkkkkkkkkkkkk, agora tem outro. kkkkkkkkkk

Batata: Estão se multiplicando.


Tradução: Batata Yacon   |   Revisão: Delongas


Ei, se estiverem gostando do projeto e desejarem ajudar um pouco, vocês podem fazer isso acessando o link abaixo, solucionando o Captcha e aguardando dez segundos para ir à nossa página de agradecimentos.

Podem acessar por aqui.

Ou Aqui.


AnteriorPróximo

4 ideias sobre “LoMa – Volume 5 – Capítulo 3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s