LoMa – Volume 5 – Capítulo 12

AnteriorPróximo


Escrito por Mishima Yomu/Wai (三嶋 与夢)
Traduzido da versão Inglês do Cipher em  Centinni


Três Espadas

 

— Linus? Ele nunca foi oponente meu. Não falei isso antes?

Estava bebendo no bar do hotel com um perplexo Wallace ao meu lado.

Ele esteve doente na cama recentemente, mas disparou de pé quando ouviu sobre a tentativa de assassinato.

— Inacreditável. Em pensar que venceu o meu irmão maior Linus.

O mundo agora via Linus como um pateta que falhou em assassinar Cleo.

Afinal, a sociedade é cruelmente fria para com aqueles que falham.

Wallace, por outro lado, parecia ter tido uma boa opinião de Linus.

— O irmão maior Linus foi alguém que criou sua própria facção e escalou à segunda posição em termos de direito de sucessão. Nunca pensei que ele encontraria seu fim dessa maneira.

Olhando de lado, inclino meu copo para o Wallace que estava confuso.

— Foi por isso que falei que não precisava se preocupar comigo.

— Você falou aquilo, mas ninguém teria acreditado em você sob aquelas circunstâncias!

— Eu sabia desde cedo que minhas chances de vitória eram altas. Você acha que eu apostaria em algo sabendo que perderia?

— Ainda assim, ele era o segundo na linha de sucessão ao trono!

Eu entrei nesse jogo sabendo que emergiria vitorioso.

É verdade que Linus tinha mais subordinados e cartas que poderia ter empregado.

Porém, Linus também estava ocupado lutando contra o Calvin, seu rival principal.

Eu simplesmente me aproveitei disso; foi por isso que estava confiante nessa batalha.

Linus não teve a chance de jogar tudo contra nós.

Batalhas limpas e justas não combinam com Senhores Malignos.

Senhores Malignos experientes se moveriam de modo que seus inimigos sejam incapazes de demonstrar todos os seus poderes.

A reputação de Cleo está disparando com a derrota de Linus.

Saquear tudo que seja útil… esse também é o caminho de um Senhor Maligno.

Infelizmente, isso marca o final da fase bônus.

Penso em nosso próximo oponente.

— O próximo é o Calvin. Isso é bem problemático.

Wallace concorda.

— Ele é o Príncipe da Coroa. Vários aristocratas o apoiam e a maioria dos que estão no palácio estão do lado dele. A derrota do irmão maior Linus foi inesperada, mas qual é o seu plano a partir de agora?

— …… Plano? O que é isso?

— Você não tem um!?

Calvin estava sentado no título de Príncipe da Coroa e sua posição era tão estável quanto uma pedra.

Ele não é do tipo de pessoa que arrumaria brigas imprudentemente como o Linus também.

Falando de outro modo, não há brecha alguma em sua defesa.

Não só ele está cercado por muitos aristocratas, a qualidade de seus subordinados não é ruim.

Wallace agarra sua cabeça em frustração.

— O que você vai fazer!? O irmão maior Calvin é ainda mais difícil de se lidar!

— Não se preocupe. Será uma batalha prolongada. E serei eu sorrindo no final, já que a Dama da Sorte está sempre ao meu lado.

Minha vitória estava predeterminada.

Além do mais, tenho o Guia atrás de mim… é impossível que eu perca.

Eu deveria tentar apreciar mais essa batalha.

Após o Cleo se sentar no trono, irei agir como bem quiser.

Ops, quase esqueci de uma questão importante.

— Wallace, como está indo o plano pra conjunta?

Wallace me encara e abaixa sua bebida de uma vez sem responder.

— Ei, você sabe o quanto isso é importante para mim!?

Merda!

Como um universitário, eu tenho que passar mais tempo festejando.

Não consegui fazer isso por causa de todo o tempo gasto brigando pelo trono.

Já que sou um nobre, devo ser extravagante quando faço farra.

O planeta da capital imperial estava em grande alvoroço.

— Ouviu? Aparentemente, Vossa Alteza Linus faleceu por uma doença. A posição de segundo na linha de sucessão pelo trono agora está vaga.

— O Terceiro Príncipe vai subir?

— Nah. A vaga tá aberta, mas o Terceiro Príncipe?

A morte do Segundo Príncipe Linus.

Todos esperavam que estourasse o inferno no palácio por conta de quem substituiria Linus como o segundo na linha pelo trono.

Na verdade, os Príncipes de quarto na linha para baixo estavam tramando com seus respectivos aristocratas em uma tentativa se ultrapassar Cleo e virarem o segundo na linha.

Todos previam que muitos Príncipes e Princesas desapareceriam com o tempo.

Isso porque coisas similares tinham ocorrido muitas vezes antes.

Logo, outra notícias abalou a capital imperial… assim como todo o Império.

-Um planeta muito distante da Capital-

Yasushi estava tremendo enquanto segurava um jornal eletrônico.

A figura de Liam realizando uma coletiva de imprensa podia ser vista na tela, e um vídeo estava sendo reproduzido no jornal.

Yasushi tremia.

— AQUELE BASTARDO! DESSA VEZ ELE CONSEGUIU! ELE FINALMENTE CONSEGUIU!

Yasushi berrava, não de felicidade, mas por medo e raiva.

Dentro do vídeo, Liam estava orgulhosamente proclamando algo aos repórteres em sua frente.

— Santo da Espada. Derrotei ele. Como um portador de licença da escola do Lampejo-Único, Eu o derrotei.

Os repórteres estavam descrentes.

— Você derrotou um dos quatro Reis Celestiais? Sério?

— Não me faça ficar me repetindo o tempo tudo. Sim, eu cortei ele. Mesmo assim, não fui capaz de obter o título de Santo da Espada após derrotar um. Por causa desse sistema ilógico, fiz uma solicitação ao palácio. Atualmente, estou esperando que me reconheçam como um Santo da Espada.

— V-você está se declarando um Santo da Espada? Normalmente não precisa ser nomeado e triado várias vezes antes de Vossa Majestade aprovar?

— Você é burro? O Santo da Espada que escolheram perdeu pra mim. Claramente, os olhos deles estão encobertos. Eu sou o mais forte. Eu sou um Santo da Espada. Se alguém desaprova, traga os outros três aqui! Irei fatiar todos eles.

Houve um burburinho no ar.

Liam continuou como se recordasse algo crucial.

— Oh, irei retrair minha alegação anterior. Eu não sou o mais forte. Meu mestre é.

— Seu mestre, se refere ao mestre do Lampejo-Único? Por que nunca escutamos o nome dele antes? Se ele é tão poderoso, seu nome deveria ser amplamente…

— Está subestimando Mestre Yasushi!?

Liam projetou uma imagem de Yasushi.

Era uma clara e nítida imagem de seu rosto.

A foto tinha sido tirada quando Yasushi estava ensinando a espada para Liam.

Tal coisa estava sendo exibida aos repórteres em uma enorme tela.

— Aquele idiota!!

Yasushi não desejava nada mais que suspender a conferência.

Infelizmente para ele, já era tarde demais no ponto em que ele estava assistindo o vídeo.

Não havia nada que ele pudesse fazer.

Os olhos de Liam brilhavam enquanto louvava Yasushi.

— O Mestre Yasushi é o homem mais forte do universo. Estive perseguindo desesperadamente a sombra dele. Infelizmente, ainda não tenho qualquer confiança em superar meu mestre. Prefiro lutar com os Santos da Espada do que enfrentá-lo.

Os repórteres ficaram estupefatos.

— A esse ponto!?

— Uma existência que está acima de um homem que derrotou um Santo da Espada……¹

— O mais forte espadachim do mundo… Yasushi! Não, ele é um Deus da Espada além do domínio dos Santos da Espada!

— O Deus da Espada Yasushi!

— O mais forte Deus da Espada na galáxia!

— Quem exatamente é Yasushi!?

A manchete do artigo que ele lia era “O Homem Mais Forte no Universo! Deus da Espada Yasushi!”

Yasushi estava nervoso, com medo de tais notícias terem chegado a um planeta tão distante.

Ele tremia como uma folha.

(Isso é mal, isso é mal, isso é mal, isso é mal, isso é mal. E-eu vou morrer se ficar aqui. Eu tenho que fugir… Eu tenho que fugir deste império!)

As boas intenções de Liam estavam voltando para mordê-lo.

Dentro de uma casa mal iluminada que tinha a aparência de uma barbearia, Yasushi pensava sobre o que faria no futuro.

De repente, a entrada da casa ficou barulhenta.

— Entregue Yasushi! Traga o homem mais forte no universo!

A voz pertencia a um homem.

Yasushi estava certo de que o homem havia lido as notícias sobre ele e pretendia derrotá-lo para clamar o título de mais forte.

A confiança do homem era aparente em sua voz.

— Hiii! Hiiiiii!

Yasushi estava planejando escapar pelas janelas.

Logo quando ele estava tentando fazer isso, ouviu seus discípulos enfrentando o homem.

— Angh? Lixo assim tá querendo confrontar nosso mestre?

— Só pode tá sonhando.

Seus dois discípulos que estavam na porta da frente enfrentavam o homem.

— ….. Jovenzinhos como vocês se atrevem a me fazer de tolo, o fundador da escola do fluxo infinito? Permita-me dizer isso: Já matei cinco Cavaleiros renomados na minha vida!

Só isso já indicava o quão perigoso o homem era.

Yasushi não pensava que seus discípulos pudessem rechaçar tal bruto, então pôs o pé na beira da armação da janela para se preparar para escapar.

Então……

BOGOO!

Era o som de uma espada de madeira acertando o corpo de alguém.

Porém, foi anormalmente alto.

Alguns momentos depois, o homem começou a berrar.

— GYAAAA!!! Meu braço! Meu braço!

Seus discípulos zombaram dele.

— Para de gritar. Tá perturbando a vizinhança. A tia da porta do lado é irritante, sabia?

— Agora, vamos esmagar sua perna direita.

O som de músculos sendo esmagados precedeu o berro do homem.

Tremendo, os capangas do homem berraram.

— P-para!

— Deixa a gente ir! Nunca vamos perturbar vocês de novo!

— P-perdão!

Infelizmente, os discípulos de Yasushi não tinham terminado com eles.

— Ei, cê realmente matou cinco Cavaleiros famosos? Cê é fraco. Fraco o bastante pra me fazer bocejar.

O mais agressivo dos dois discípulos esperava que o homem fosse um oponente mais difícil.

Isso era enfurecedor e decepcionante.

— Huh? Você acreditou nas mentiras dele? Você é burro?

O outro discípulo riu e provocou o discípulo agressivo.

Enquanto esse ria, o som de ossos sendo esmagados foi escutado mais uma vez.

Yasushi tinha suor frio correndo pelo seu corpo.

O discípulo agressivo falava com o discípulo sadista que torturava os intrusos despreocupadamente.

— Vô te matá se não calá a boca.

— … Não lembra que precisamos de permissão do Mestre se a gente quiser matar alguém da mesma escola? Acho que vou contar pro Mestre.

— S-si atreve!?

Matar discípulos da mesma escola era proibido… essa era uma mentira que Yasushi tinha inventado como garantia quando Liam solicitasse uma partida de prática.

Ele se certificou de dizer a mesma coisa para os novos discípulos. Afinal, ambos já eram mais fortes que eles.

Yasushi desceu da janela e caminhou até a porta da frente após confirmar que os intrusos tinham partido.

A entrada da casa estava em terrível condição, mas Yasushi nem piscou para manter sua dignidade na frente de seus dois discípulos.

(São crianças perversas, mas devem ser capazes de derrotar o Liam. Eles também podem acabar com qualquer dos idiotas que me desafiarem. Ainda assim, é melhor que eu deixe o império.)

Yasushi suspirou ao ver as figuras ensanguentadas dos seus discípulos.

— Vocês dois causaram problema de novo?

Seus discípulos apressadamente arrumaram suas posturas na frente de seu mestre.

— M-mas Mestre!

— Eu tentei segurar ele.

Yasushi berrou internamente.

(Segurar ele, minha bunda! Essa sua atitude me assusta mais que qualquer coisa!)

Ele tinha conseguido parecer digno todos esses anos cuidando deles.

Graças a isso, eles chamavam Yasushi de mestre de boa vontade.

— Vocês dois, limpem isso e tomem um banho. Depois, venho para a sala dos fundos.

Eles fizeram como ordenado e foram para a sala dos fundos.

Yasushi ofereceu aos dois as ferramentas para matar Liam.

Para a criança agressiva, ele havia preparado duas katanas.

Para a sadista, ele havia preparado uma katana mais longa que o comum.

Cada uma delas era do mais alto grau que Yasushi podia comprar.

É claro, os fundos vieram dos bolsos de Liam.

Seus dois discípulos receberam suas katanas com olhos brilhantes.

— Uau! Mestre, eu posso?

— Minha própria espada!

Yasushi também havia tinha roupas feitas sob medidas para eles.

Além disso, ele havia comprado ferramentas para suas viagens.

O único objetivo deles era assassinar Liam.

(Tem dois deles, então com sorte um deles terá sucesso. Enquanto isso estarei fugindo deste império.)

Yasushi colocou sua cara séria.

— … De agora em diante, vocês dois são sucessores oficiais.

Os dois se entreolharam.

— Eh? Mestre? A gente ainda não está em treinamento?

— I-isso mesmo, Mestre!

Yasushi sorriu, mas por dentro ele estava suando.

(Eu não tenho mais nada para ensinar! Esses dois são perigosos, igual ao Liam.)

Em primeiro lugar, ele tinha pouco a ensinar.

Se ficassem mais tempo com ele, havia uma chance de descobrirem a verdade eventualmente.

Yasushi queria se livrar deles rápido.

— Afiem suas espadas viajando mundo afora. Cada um de vocês deve descobrir o Lampejo-Único que combine com vocês.

Os dois estavam prestes a chorar.

Mas mesmo assim, não soltaram suas novas espadas.

Yasushi falhava em compreender seus processos de pensamento.

(Por que estão abraçando suas espadas tanto assim? Isso assusta um pouco.)

Ele não contou para eles o verdadeiro propósito de suas viagens.

— Afiem suas habilidades durante suas viagens. Tenho certeza que haverá muitos encontros arriscados. Vocês dois podem até se separarem algum dia. Apenas lembrem-se… seu irmão sênior irá ajudá-los a completar sua espada.

A criança agressiva esfregou suas lágrimas.

— Irmão sênior? Está falando do Liam? Ele também é um portador de licença do Lampejo-Único?

— Sim. Vocês não são páreos para ele agora, então afiem suas espadas afora antes de desafiarem seu irmão sênior.

A criança com personalidade ruim bufou.

— Ele é tão forte assim? Nós somos bem fortes.

Yasushi assentiu internamente.

(Honestamente, como esperam que eu saiba? Do meu ponto de vista, vocês são todos monstros. Vão em frente e se matem como monstros.)

Yasushi respondeu:

— Ele é forte. Vocês dois devem desafiá-lo com a intenção de matar… não, matem ele. Se não tiverem esse grau de determinação, irão morrer. Desafiem ele juntos. Existe uma diferença grande assim entre ele e vocês dois.

(Bem, vocês devem conseguir vencer se desafiarem ele como um par.)

Os dois assentiram enquanto choravam.

Yasushi os consolou dizendo que estavam prontos para a viagem e deu suas roupas.

Eram roupas de boa qualidade.

Yasushi tinha as preparado já que sentia alguma responsabilidade.

Acima de tudo, ele também lhes deu o equivalente a alguns milhões em moeda eletrônica.

Com tanto dinheiro assim, ele tinha certeza que eles ficariam bem por um tempo.

Se ficassem sem fundos, poderiam ganhar a vida como caçadores de recompensa também.

— Eu também partirei daqui após vocês dois saírem.

— Mestre!?

— Por quê!?

— Para garantir que a determinação de vocês não vacile. Irei em uma jornada para continuar a polir minha técnica do Lampejo-Único. Poderemos nunca nos encontrar de novo. Mesmo assim, rezo pela segurança de vocês.

(Depois que eles matarem o Liam, irei chamá-los de volta para me servirem de guarda-costas… Deixa pra lá, não quero ficar com esses monstros. Não vou conseguir descansar em paz. E também, se eles matarem o Liam, irão se tornar fugitivos.)

Yasushi os tratou gentilmente para aliviar sua tristeza.

Depois disso, a dupla se trocou para suas novas roupas e apareceram na frente de Yasushi com suas espadas na cintura.

— … Vocês dois cresceram.

Eles coraram quando ele disse isso.

Então, agradeceram Yasushi.

— Mestre, obrigado por me criar. Irei voltar para ver o mestre de novo quando derrotar o irmão sênior e ficar completo!

— Vou provar ao mundo que estou na posição número um dos discípulos do mestre. Até lá… até mais, Mestre.

Yasushi riu quando eles partiram.

(Haaa~. Eles finalmente partiram. Me levou décadas para criá-los. Estou finalmente livre.)

Yasushi fitou a casa de onde seus discípulos tinham partido.

(… M-me sinto um pouco triste.)

Depois de criá-los por tanto tempo, Yasushi havia se apegado um pouco a eles.

Ele sabia que não voltaria mais para cá.

(Não pensei que um cara como eu gastaria tempo criando crianças. Eles são bem lamentáveis por terem sido criados por mim.)

Yasushi empacotou seus pertences para escapar dos territórios do império.

A senhora da porta ao lado entrou.

— Yasushi-san! Suas crianças estavam fazendo bagunça de novo?

— V-vizinha! P-por favor perdoe a ofensa delas.

— Eu não sei suas circunstâncias, mas qual é o sentido de treinar sua espada neste lugar abandonado? Você nem parece forte.

Yasushi riu amargamente quando foi repreendido pela senhora.

— Ahahaa… Está certa.

(Mas que merda! Ela tá cuspindo o que quer sem se segurar! Não precisa me lembrar. Eu nunca mais vou treinar a espada. Hoje é o último dia que ficarei com medo de Liam. É assustador deixar o império, mas eu deveria ter feito isso desde o começo.)

Ele viajaria para um lugar onde ninguém o reconheceria.

Quando Yasushi chegou nesse pensamento, se sentiu refrescado… Não, verdade seja dita, se sentiu sozinho.

Por alguma razão, Yasushi estava preocupado com as duas crianças que tinham deixado o ninho.


Tsurian (´ω;`) : — Isso dói! Pessoas me chamam de impostor quando não digo isso. E também, tem uma planta estranha querendo me parasitar. Este Brian é tratado tão duramente… isso dói.

Brotinho-chan (゜∀ ゜): — Perdão!? Eu não sou uma parasita! Eu simplesmente tomei controle do meu hospedeiro! Ou melhor, olha o seu nome, Brian.

Tsurian Σ (´ω;`): — O que houve com o meu nome~~~!!


Delongas: kkkkkkkkkkkk

 


Tradução: Batata Yacon   |   Revisão: Delongas


Ei, se estiverem gostando do projeto e desejarem ajudar um pouco, vocês podem fazer isso acessando o link abaixo, solucionando o Captcha e aguardando dez segundos para ir à nossa página de agradecimentos.

Podem acessar por aqui.

Ou Aqui.


AnteriorPróximo


Notas:

  1. Delongas; kkkkkkkk
    Batata: Rachei muito de rir traduzindo essa parte.

4 ideias sobre “LoMa – Volume 5 – Capítulo 12

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s