LoMa – Volume 4 – Capítulo 9

AnteriorPróximo


Escrito por Mishima Yomu/Wai (三嶋 与夢)
Traduzido Originalmente ao Inglês por Kuroinfinity


Mercadores da Capital Imperial

 
O átrio de um hotel de luxo.

O hotel arranjado pelo meu mercador Thomas era um edifício histórico renovado para padrões modernos.

Era um desperdício de dinheiro, mas era assim que Senhores Malignos deveriam usar seus fundos.

Cruzando minhas pernas enquanto me sentava no sofá, olhei para as duas pessoas com quem Thomas havia mediado um encontro comigo.

Vestido em um terno, enquanto seus cabelos dourados eram partidos em uma taxa de sete por três, ali estava o jovem chefe da Companhia Clave, seu presidente Elliot.

Sua aparência era aquela de alguém no começo de seus vinte, e ele realmente parecia ter essa idade.

Lançando-me um sorriso:

— Gostaria de agradecer por nos receber neste dia.

Sentado ao lado dele estava uma executiva da Companhia Newlands, Patrice.

Ela tinha cabelos vermelhos carmesim, e olhos verde-esmeralda.

Seu terno que enfatizava seus seios parecia combinar… ela estava visando um certo padrão de cores?

— Me traz grande alegria finalmente me encontrar com o famoso Conde… não, com o futuro Duque, Senhor Liam.

Ela era uma bela moça com uma voz atraente, mas garotas do tipo dela não eram minha preferência.

… ela lembrava minha ex-esposa.

Mulheres espalhafatosas não eram do meu gosto.

Me virando para Thomas, ele parecia estar se encolhendo, tentando deixar sua presença tão pequena quanto possível.

— Senhor Liam, gostaríamos de conversar sobre certas coisas com você hoje. Isso se refere a nós nos tornarmos seus fornecedores exclusivos.

Os maiores vendedores na capital imperial tinham se aproximado de mim para se tornarem meus mercadores.

Já que a escala em que operavam era muito maior que a da firma do Thomas, eles tinham potencial para serem úteis de várias maneiras.

— Meus fornecedores exclusivos?

— Sim, por favor, permita-nos servi-lo, Senhor Liam. A Companhia Clave é um grupo mercante imperial com profundos laços à tradição e história. Tenho certeza que podemos ser de valor a ti.

Quando Elliot disse isso com um sorriso, Patrice, que estava sentada ao lado dele, começou a fazer seu apelo também.

— Apesar de ser verdade que a Companhia Clave é a melhor na capital imperial, nossa Companhia Newlands realiza negócios por todo o Império.Nossa companhia é amplamente apoiada por incontáveis nobres, cujas conexões certamente lhe serão úteis, Senhor Liam.

Eu amo pessoas que me bajulam desenvergonhadamente.

Entretanto… as ofertas deles pareciam boas demais para serem verdade.

E eu nunca confiariam em ninguém dizendo que estariam dispostos a me ajudar por pura bondade.

— Thomas é meu mercador exclusivo, vocês entendem quais são as implicações das suas propostas?

Thomas fazia uma expressão nervosa.

Ele realmente deveria tentar agir com mais dignidade de vez em quando.

Elliot realizou outro gesto para me persuadir.

— É claro que entendemos. Não se engane, não tenho desejo nenhum de expulsar a Companhia Henfrey de sua posição, mas eu ficaria grato se usasse nossa Companhia Clave em adição a eles.

Patrice disse o mesmo.

Ambos sorriam enquanto tentavam me vender sonhos do que o futuro poderia ser.

Se eu desse as mãos com eles, eles fariam várias coisas por mim… isso era conveniente demais.

— … E então? Qual o objetivo de vocês?

Diante do meu questionamento, os sorrisos emplastrados de Elliot e Patrice sequer vacilaram.

— Qual o nosso objetivo? Também sou um mercador, sabe. É claro que meu objetivo aqui é o lucro monetário que prevejo que me trará.

— A Companhia Newlands tem em alta estima o atual ímpeto que a Casa Banfield possui, e não deseja perder essa oportunidade em criar uma conexão convosco.

Eu observava as caras risonhas que eles tinham emplastradas.

Eles emanavam a mesma sensação que minha ex-esposa.

Eu ainda não havia esquecido a cara da mulher que me fez de tolo.

— Tirem logo esses sorrisos emplastrados da cara.

Quando falei isso, toda expressão pareceu ter desaparecido da face de Elliot.

— … Ouvi rumores de que era um Senhor virtuoso cheio de afeição, mas acho que há coisas que simplesmente não se pode entender sem conhecer a pessoa em questão cara a cara.

Patrice ainda sorria, mas o sorriso parecia ter uma “profundidade” diferente.

Parecia cheio de expectativas, mas também impaciente.

— É essa sua verdadeira natureza? Embora eu não possa dizer que odeio.

— Entendi… então? O que vocês querem de mim?

Quando a atmosfera por trás dos dois mudou, Thomas rapidamente começou a explicar.

— Senhor Liam, ambos estão buscando a força da sua Casa Banfield.

— É uma razão válida, mas não entendo o porquê de mercadores tão poderosos precisarem depender de mim.

Muitos mercadores expressão seu desejo de pegar emprestado o poder da Casa Banfield antes.

Entretanto, esse dois devem possuir outros nobres em seus bolsos com quem podem contar.

Do contrário não seriam grandes mercadores.

Não deveria haver razão nenhuma para os grandes grupos mercantis imperiais dos quais esses dois fazem parte estenderem as mãos para a minha Casa.

Elliot cobriu sua boca com a mão.

— Eu apenas sucedi como chefe do meu grupo alguns anos atrás, e estive em disputa com os outros executivos desde então.

Considerando a situação, parece que a Companhia Clave estava perto demais das políticas dos nobres.

— Há muitas pessoas buscando tirar vantagem da minha juventude e me manipular. Sendo honesto, após investigar a morte do meu pai, descobri que ele foi assassinado.

Parece que as grandes companhias comerciais tinham sua própria porção de problemas para lidar.

— Por que não vai chorar pro Império?

— Porque o Império precisa da Companhia Clave, e não de mim pessoalmente. Na realidade foram os nobres que contrataram as pessoas que mataram meu pai.

Parece que ele estava procurando por um aristocrata para se tornar seu apoiante, tal como os outros executivos.

Me virei para Patrice, e quando ela explicou suas circunstâncias, revelou suas ambições.

— Ao contrário de Elliot, que quer alguém para defendê-lo, eu quero a Companhia Newlands para mim.

Embora Elliot não parecesse interessado, isso captou meu interesse.

— Continue.

— A Companhia Newlands tem executivos de muitas filiais, contando comigo. Embora trabalhemos juntos geralmente, as coisas são diferentes agora que a sub-rogação da chefia está mudando. Todos estão questionando “quem será o próximo chefe?”.

Patrice assumiu uma pose que enfatizava seu busto, como se tentasse mostrá-lo para mim.

— Senhor Liam, me emprestaria seu poder para ajudar com que eu me torne a próxima presidente da Companhia Newlands? É claro, me certificarei de recompensá-lo apropriadamente.

Thomas tirou os olhos dos dois.

— Senhor Liam, com o suporte desses dois, a Casa Banfield será capaz de alcançar alturas ainda maiores, mas eles também vêm com vários problemas.

— Assim parece…

Esses poderosos mercadores buscaram por mim por desejarem minha força para suas querelas internas.

Ora, se não é fácil de entender?

Em outras palavras, eles tinham o poder da violência que eu podia manusear em alta estima.

Anunciei aos dois em minha frente:

— … Já que atraíram meu interesse, decidi oferecer meu suporte.

As expressões de Elliot e Patrice eram sérias.

— Compreende o que isso significa, certo?

Elliot me advertiu, mas para esses dois me procurarem significa que são consideravelmente malignos, não?

Eles já devem ter ouvido de Thomas sobre todas as vilanias que realizei até agora.

— Não se preocupem com isso, mas permita-me dizer: desde que vocês dois garantam o meu lucro desse acordo, eu os apoiarei em troca. Não acham que uma relação mutuamente benéfica seria o melhor para todos nós?

Lealdade? Gratidão? Honra?

Eu não acreditava em tais coisa.

Mas desde que esses dois possam lucrar dessa situação, eu sabia que não me trairiam.

Simples, não é?

Patrice colocou um dedo sobre os lábios.

— … és diferente do que imaginei, Senhor Liam. É claro, de um modo bom, mas achei que seria uma pessoa que valorizasse honra acima de lucros.

Honra? O que é honra para um Senhor Maligno? Ahh, ela estava se referindo ao senso de honra que pode aparecer em alguma série de tv?

Nunca valorizei coisas assim antes, e não valorizava mesmo agora.

— Estão com medo dos seus benefícios poderem ser abandonados em favor de morais? Que grandes mercadores são, não acha também, Thomas?

Quando dirigi a conversa para ele, Thomas fez uma expressão perturbada.

— O-o que quer que eu diga?

— … bem, desde que eles me tragam lucros, irei apoiá-los. Parece um contrato realmente simples e fácil, não?

Elliot começou a sorrir, mas não era aquele sorriso falso de um jovem bom e sério que havia me mostrado no começo.

— Eu entendo completamente. Ao invés dos laços invisíveis de morais e honra, os vínculos materiais de um contrato são muito mais confiáveis.

As bochechas de Patrice se coraram em excitação.

— Irei trazê-lo o contrato imediatamente. Senhor Liam… gostaria que assinasse o contrato junto comigo, pessoalmente.

Muito melhor.

Ao invés das expressões com ares de boas pessoas que mostraram no começo, eu preferia eles muito mais como estavam agora.

◇ ◇ ◇

Após terem assinado seus contratos com Liam, Elliot e Patrice agora se encontravam sozinhos no elevador.

Suas paredes eram feitas de vidro, tornando visível a bela vista noturna da capital imperial.

Elliot afrouxou sua gravata e começou a falar com Patrice.

— … Ele foi uma pessoa muito mais fácil de se conversar do que pensei.

Patrice cruzou seus braços, recusando a mostrar suas costas para Elliot.

— Que liberdade é essa? Isso não muda o fato de ainda sermos inimigos.

— Oh? Eu teria pensado que seria muito mais benéfico se cooperássemos um com o outro.

— … É inútil dar as mãos com o chefe de um grupo que não tem poder nenhum.

— Está me dizendo…

Havia várias razões para eles terem se aproximado de Liam, mas para Elliot era porque muitos dos executivos de sua companhia tinham laços próximos com a Família Berkley.

Desde que você pagasse os Nobres Piratas, eles o apoiariam, era assim que a sociedade funcionava.

Mas se os piratas ganhassem qualquer poder a mais, eles começariam a interferir com seus negócios.

Elliot odiava essa ideia e decidira apoiar Liam, que estava lutando abertamente com a Família Berkley de frente.

No começo, ele se preocupou quando ouviu sobre o quão sério ele era, mas era exatamente por isso o porquê da verdadeira natureza de Liam ser tão interessante.

— Mas achei que estivesse na mesma situação que eu. Muitos executivos da sua companhia não estão próximos da Família Berkley também?

— Não faz sentido seguir os passos deles. Se vão apostar na Família Berkley, então colocarei minhas fichas na Casa Banfield ao invés disso.

Patrice queria usar Liam para ganhar poder dentro de sua companhia.

Originalmente, ela iria manipulá-lo habilmente com suas habilidades de linguagem, mas foi pega completamente desprevenida.

— Ainda assim, as coisas realmente deram uma volta interessante. Fico feliz que ele não seja só outro certinho.

A maioria dos aristocratas priorizava seus lucros pessoais para acordos assim, mas Liam não confiava em relações unilaterais assim.

— … Nós fomos longe demais agora, o Conde precisa vencer essa guerra.

Quando Elliot disse isso, Patrice concordou:

— Ele precisa, do contrário, estaremos em apuros.

◇ ◇ ◇

Enquanto Liam estava no meio do treinamento, problemas tinha claramente surgido com sua designação de suprimentos.

Os mais afetados por essas políticas… eram os soldados corruptos.

— Maldição! O pirralho Banfield está se achando!

Além dos nobres que desperdiçavam seu tempo preguiçosamente nas frotas de patrulha, os soldados que estiveram vivendo vidas moles nas frotas regulares até agora estavam enfurecidos.

— Sério, a quantidade de álcool que recebemos tem diminuído.

— Que merda ele quer dizer com não poder desperdiçar fundos em licores de alta qualidade para nós?! Nós somos nobres, maldição!

— Além disso, ele mexeu com nossas frotas! Ele reduziu o número de naves que eu estava encarregado depois de dar alguma desculpa aleatória!

Tudo sobre Liam da Casa Banfield era ruim.

A opinião deles estava em sincronia.

E o guia assistia isso silenciosamente.

Sentado em uma cadeira, ele começara a aplaudir enquanto sacudia suas pernas.

— Parece que ele não tem tido problemas em criar mais inimigos para si mesmo. Pois bem, coloquemos esses caras para trabalhar.

Após estalar seus dedos, fumaça negra começou a emanar de seu corpo.

A fumaça negra rapidamente preencheu a sala, mas os nobres não pareceram notar.

Foi então que um deles falou:

— Ouvi rumores de que a Família Berkley vai resolver as coisas com a Casa Banfield em breve.

Os soldados reunidos de repente ficaram interessados na história.

— Sério?

— Parece que estão recrutando soldados, então que tal? … Como nobres imperiais, por que não nos juntamos à Família Berkley para ajudar a restaurar as forças armadas a como deve ser. Eles também disseram que nos providenciariam com uma montanha de recursos.

Os militares abriram sorrisos arreganhados.

O guia estava preparando recursos humanos para se juntarem às forças da Família Berkley, aumentando ainda mais os inimigos de Liam.

— Isso ainda não é o bastante. Ainda não é o bastante para garantir a queda de Liam.

Até o momento ele tinha sido negligente.

Agora, ele não subestimaria mais o Liam.

Levantando-se, o guia ajeitou seu chapéu, e deixou a sala.

Entretanto, uma leve luz na forma de um cachorro assistia tudo do canto da sala, e silenciosamente o seguiu.


Brian(´ω): É doloroso. O modo como o Senhor Liam sequer consulta conosco previamente sobre aumentar o número de mercadores é… doloroso. Não que eu tenha objeções, é claro.¹


Tradução: Batata Yacon   |   Revisão: Delongas


Ei, se estiverem gostando do projeto e desejarem ajudar um pouco, vocês podem fazer isso acessando o link abaixo, solucionando o Captcha e aguardando dez segundos para ir à nossa página de agradecimentos.

Podem acessar por aqui.

Ou Aqui.


AnteriorPróximo


Notas e Baboseira da equipe:
1. Delongas:Você é um reclamão, Brian. Isso sim!

5 ideias sobre “LoMa – Volume 4 – Capítulo 9

  1. Thiago Morgado

    Não sei qual é o grande projeto do autor para essa obra, mas tenho a sensação de que o primeiro arco esta prestes a entrar no seu clímax

    Curtido por 1 pessoa

    Resposta
  2. Gatts Berserker

    Alguém comentou sobre o autor não explorar a experiência do Liam em sua vida passada. Mas eu penso o contrário, que ela é muito explorada. O problema é que o Liam em sua vida passada foi um medíocre que mal teve experiências hehehe. Ele era um pobretão, condicionado pelo seu email, enquanto agora ele é um rico que condiciona o seu meio. Então, é meio difícil aproveitar alguma coisa boa de sua vida anterior que seja aplicável à atual.

    Curtido por 2 pessoas

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s