LoMa – Volume 4 – Capítulo 2

AnteriorPróximo


Escrito por Mishima Yomu/Wai (三嶋 与夢)
Traduzido Originalmente ao Inglês por Kuroinfinity


Comitiva

 

Uma sala de aula dentro da academia militar.

Na sala de aulas inclinada, Liam era cercado por crianças de várias casas nobres.

Desde a partida do dia anterior contra Dolph, os aristocratas estiveram se aproximando dele sem vergonha nenhuma.

— Liam, você é incrível!

— Você derrotou um veterano, além do mais foi logo o orador Dolph!

— Acho que experiência de batalha real realmente é diferente.

Enquanto Liam era elogiado, fazia uma expressão que dizia que realmente gostava disso.

— Não foi muito, ele era apenas fraco.

Aqueles em volta continuaram a elogiá-lo enquanto ele falava isso.

Wallace assistia tudo de longe. Ao contrário de ontem, as crianças nobres estavam descaradamente bajulando o Liam. 

— … reunindo-se imediatamente em volta dos fortes. É quase impressionante ver o quão honestos eles são.

Os cadetes gerais na sala de aula tinham expressões amargas em seus rostos enquanto assistiam tudo isso ocorrer.

Tal como Wallace, eles estavam incrédulos com o quão rapidamente os nobres tinham mudado de atitude.

(Ontem mesmo eles estavam chamando ele de caipira estúpido, mas agora estão praticamente comendo na palma da mão dele.)

Com a vitória de Liam sobre Dolph, as crianças aristocratas que o ridicularizaram agora estavam agindo como sua comitiva.

(Hah… sinto falta da escola fundamental.)

Antes o outro amigo do Liam, Kurt, também estava lá.

Se ele também tivesse vindo para a academia, então certamente teria mantido essas pessoas longe do Liam.

Porém, Kurt era o herdeiro da Casa do Barão Exner, uma família que tinha fortes laços ao exército.

Esse tipos de casa sempre escolhiam a academia como seu último destino em seu treinamento.

Após se graduar da escola fundamental, Kurt tinha se matriculado na universidade para priorizar a obtenção de suas qualificações como um oficial.

A última razão era o fato de que após ele se graduar da academia, havia planos para ele ficar no exército além dos quatro anos de serviço mínimos.

Graças a isso, Kurt atualmente era um estudante da universidade e não estava ali.

(Agora que paro para pensar, ele estava bastante deprimido quando teve que se separar do Liam.)

Kurt estava cabisbaixo quando Liam falou para ele que iria para a academia militar primeiro.

Embora ele quisesse se matricular junto na academia militar, não era como se o Liam pudesse ficar alistado no exército para sempre.

Ele não era um herdeiro e já tinha sucedido como chefe de sua Casa, e precisava retornar para governar seu território assim que possível.

Wallace olhava para Liam que estava sendo elogiado pelos seus arredores.

— São dez anos cedo demais para um amador sem verdadeira experiência de batalha vencer contra mim.

Em resposta a Liam que dizia tais coisas, seus arredores irromperam em confusão dizendo: “Dez anos?”; “Só levam dez anos para ficar forte assim?”; “Isso é surpreendentemente rápido.”

Nesse momento — [Marie Sera Marian] irrompeu na sala de aula com seus curtos cabelos roxos.

Isso mesmo, Cabelos roxos.

Com traços que podiam apenas ser usados para descrevê-la como uma beldade, ela era uma pessoa cujo estilo realmente se destacava na academia militar cheia de homens.

— Acabei de ouvir as notícias, Senhor Liam!

Assim que ela se aproximou de Liam, agarrou suas mãos com olhos brilhantes.

— … Marie?

Marie continuou a cantar louvores à Liam, completamente alheia ao rosto perturbado que ele fazia.

— Você derrotou o orador em uma batalha simulada! Como esperado do Senhor Liam! Esta Marie aqui infelizmente foi incapaz de ver sua figura galante ontem porque aquele meu instrutor irritante estava me distraindo. Se tivesse me chamado, eu teria vindo correndo imediatamente!

Wallace suspirou.

(Todos os Cavaleiros do Liam certamente são “únicos”.)

Marie também tinha entrado na academia.

Tendo por razão para que obtivesse suas qualificações de Cavaleira.

Entretanto, mesmo seus registros tendo desaparecido, ela na verdade era uma heroína que fora condecorada mais de dois mil anos antes.

Então o que aconteceria quando tal pessoa entrasse na academia?

…… A academia militar raramente recebia cadetes fora do padrão, e realmente não tinham quaisquer medidas preparadas para lidar com indivíduos assim.

Então havia classes feitas especialmente para acomodar tais pessoas fora do padrão, separadamente dos cursos gerais.

Era um lugar onde aqueles com talentos estranhos eram mantidos, além daqueles que estavam claramente ficando para trás dos outros.

Em resumo, era um lugar onde as crianças problemáticas estavam reunidas, e todos os instrutores ensinando lá eram veteranos.

Marie, em tal classe, recusou a ter seu cabelo cortado já no primeiro dia.

Naturalmente, os instrutores ordenaram que ela o cortasse de qualquer jeito… E em resposta, Marie derrotou todos na força, até começando a repreendê-los ao invés disso.

Ela soltou sua boca dizendo “Então instrutores imperiais são pessoas apenas deste nível? Não acho que haja nada que vocês possivelmente possam me ensinar.” com desapontamento.

Os instrutores não podiam derrotá-la, e expulsá-la diretamente minaria a autoridade deles, fazendo com que parecessem mesquinhos, então como resultado de seus problemas — acabaram pedindo ajuda a Liam.

Liam, que havia acabado de ter sua cabeça raspada, falou “O quê? Mesmo eu estando praticamente careca agora, você está reclamando sobre cortar seu cabelo curto? Vai logo cortar!”, e no exato dia seguinte, ela se apresentou a ele com seu novo penteado curto.

Vendo isso, os instrutores começaram a reclamar “Por que raios nós passamos por todo aquele trabalho?” tão abertamente que até cadetes podiam ouvir.

De qualquer modo, Marie tinha sido jogada em uma classe cheia de crianças problemáticas separada do Liam, e sempre tentava inventar razões para vê-lo.

Liam, entretanto, parecia ter ficado completamente desanimado após vê-la. 

— Entendo. Lamentável de fato. Eu entendo, então Marie, deveria voltar logo para sua sala.

— Não Senhor Liam, eu ainda não estou nem perto de te elogiar o bastante! Se eu não espalhar a palavra do quão grandioso és, essa seria a maior vergonha da vida desta Marie!

Seus olhos estavam injetados.

Marie então continuou seus elogios de Liam, e todos os caras que estavam agindo como comitiva do Liam se afastaram.

— Em primeiro lugar, é apenas natural o Senhor Liam ser maravilhoso assim, é uma inevitabilidade vo…

Wallace afundou em pensamentos após a Marie começar seus delírios.

(Hah… eu realmente sinto falta dos meus dias na escola fundamental.)

◇ ◇ ◇

Eu amo um lambe-botas.

Pessoas caninas que alegremente balançam seus rabos para mim sempre me são bem-vindas.

Mas quando olho para Marie excitadamente louvando-me na minha frente…

Eu penso diferente.

Marie tinha olhos injetados enquanto berrava com fervor que “O Senhor é a encarnação da perfeição” e outras coisas assim nas mesmas linhas.

… Eu amo pessoas que me são lisonjeiras e me oferecem montes de bajulação, mas isso daí é apenas desconcertante.

O mesmo podia ser dito da minha Cavaleira chefe, Tia.

Tenho certeza que se eu tropeçasse acidentalmente, elas me elogiariam e diriam “como esperado do Senhor Liam” mesmo nesse caso.

Quando as coisas começavam a ir tão longe, todos os seus elogios começavam a dar a impressão de que na verdade estavam me fazendo de tolo na verdade.

… Suas palavras eram vazias para mim.

— Senhor Liam é uma pessoa maravilhosa!

— … Legal, que ótimo. Agora, volta logo pra sua sala de uma vez, Marie.

— P-por que, Senhor Liam?!

— A aula vai começar logo.

— Oh, se é só por uma coisa dessas…

— VOLTA LOGO!!!

— S-sim!

Para ficar cantando louvores ao ponto de até mesmo se atrasar para sua aula, será que ela tem qualquer consciência de sua posição como minha Vice-Cavaleira chefe?

Certamente, ela era competente, mas parecia ter alguns parafusos soltos.

Deixei meus ombros caírem enquanto via a Marie correr para fora da sala, mas todos ainda pareciam estar mantendo sua distância.

Tudo isso por causa do comportamento extremo dela.

Eu finalmente tinha conseguido um grupo de capangas, mas ela arruinou isso.

A Marie realmente era inútil às vezes.

Ela não sabia como elogiar em moderação, então ela sempre acabava me fazendo parecer um idiota.

Ah~ agora meu humor foi arruinado.

◇ ◇ ◇

Um dos cadetes que esteve cercando Liam tinha se esgueirado para fora da sala de aula.

Marie, que estava escondida atrás de uma esquina, o chamou quando ele tentou se afastar em um estado tenso.

— Ei, as aulas estão prestes a começar. Onde você acha que está indo?

O cadete abriu seus olhos em surpresa, mas imediatamente puxou uma faca e saltou nela.

Agarrando seu braço, Marie rapidamente prendeu o atacante no chão.

— … Me pergunto o que você iria fazer com isso?

— M-me solta!

Agarrando um dos dedos do cadete, Marie sorriu enquanto o virava na direção contrária da dobra das articulações.

— Mer…!

Vendo o cadete tentar suprimir seu berro, o sorriso de Marie ficou ainda maior.

— Você me passa a impressão de um amador, então me diga… por que se aproximou do Senhor Liam?

Ela dobrou outro dedo, mas o cadete não a respondeu.

Enquanto tentava escapar, um homem envolto em negrume com uma arrepiante máscara ascendeu do chão.

Marie não se perturbou com a visão, mas o cadete tremeu de medo.

[Kukuri] havia aparecido.

Ele era um subordinado que protegia Liam das sombras.

— Marie, você pode causar problemas caso se mova por conta própria.

— Kukuri, para quem essa pessoa trabalha? Não me diga que assassinos deste nível são tudo o que a família Berkley tem sobrando?

Kukuri irrompeu em risadas com esse comentário.

— … Não, ele é só um dos capangas da Casa Lawrence. Não é assassino nenhum.

— Então é só um dos peões do Dolph?

Quando Marie quebrou outro dos dedos do cadete, o capanga da Casa Lawrence ficou com uma expressão amarga em seu rosto, incapaz de esconder o quão transtornado estava por seu empregador ter sido descoberto.

— Sim. Parece que ele falsificou sua identidade e se infiltrou na academia. Tudo nos registros desse homem é falso. Ele parece ter sido colocado aqui para ajudar a fazer o Dolph de orador.

— Entendo, então é isso…

Ele havia coletado informações de que Dolph poderia tirar vantagem enquanto espalhava rumores.

Aparentemente estava envolvido com várias coisas, mas da perspectiva de Kukuri e Marie, estava tudo no nível de brincadeiras de criança.

Kukuri reclamou com a Marie.

— Por ele estar apenas coletando informações, eu estava tentando manter ele sob vigilância.

— Ele se aproximou do Senhor Liam com más intenções. Só por isso ele deveria ser merecedor da morte. Estou errada?

Kukuri realizou um gesto perturbado.

— Concordo com você, mas há várias circunstâncias a se considerar. Eu estava mantendo ele sob vigilância porque assassinato não parecia ser o objetivo dele. Bem, acho que agora é tarde demais. Vamos revelar a verdadeira identidade dele e reportá-lo ao exército.

— Huh, não posso matar ele?

— Você pode, mas então as transgressões do Dolph não virão à luz. Além do mais, podemos nos livrar dele na hora que quisermos.

Relutantemente, Marie soltou o capanga, deixando Kukuri agarrá-lo enquanto começava a afundar no chão.

O capanga tentou berrar, mas não foi capaz de pedir ajuda porque Kukuri havia o abafado.

Vendo-o desaparecer, Marie então continuou seu caminho para sua sala de aula.

— … A academia realmente tem muitos dos inimigos do Senhor Liam.

Todos os hostis que tinham se aproximado do Liam eram secretamente eliminados por Marie e Kukuri.

◇ ◇ ◇

Algumas semanas depois.

Ao contrário de Liam, Dolph estava cercado por inimigos.

— Maldição! Todos eles sempre me tratando como um idiota! Isso é por causa da incompetência dos meus subordinados!

Todos os cadetes que serviam Dolph foram expostos e detidos pela academia.

Eles foram imediatamente expulsos, e naturalmente, Dolph teve que tomar responsabilidade por suas ações também.

Entretanto, ele foi absolvido de expulsão por causa de seu status nobre.

Ao invés disso, seu título como orador de seu ano.

Sua rápida subida pelos ranques militares tinha sido praticamente perdida.

— O que eu faço? O que raios eu devo fazer?!

A Casa Lawrence era uma família com fortes laços às forças armadas, então o comportamento do Dolph ser trazido à luz lhes trouxe muitos problemas.

Por essa razão, ele atualmente estava sendo evitado por seus parentes e não podia esperar qualquer ajuda deles.

— … Tudo isso é por causa do Liam da Casa Banfield. Eu deveria ser o homem que ascenderia nos ranques militares e me tornaria um marechal.

Mesmo ele tendo feito o seu melhor por esse objetivo, todo o seu trabalho duro havia desaparecido em um instante.

Por isso, Dolph absolutamente detestava Liam.

— Eu nunca irei perdoá-lo, Liam!

O enfurecido Dolph jurou vingar-se por quaisquer meios necessários.


Brian(´ω・`): — É doloroso. Ver que a Vice-Cavaleira chefe da Casa Banfield não sabe como elogiar em moderação é… doloroso.


Tradução: Batata Yacon   |   Revisão: Delongas


Ei, se estiverem gostando do projeto e desejarem ajudar um pouco, vocês podem fazer isso acessando o link abaixo, solucionando o Captcha e aguardando dez segundos para ir à nossa página de agradecimentos.

Podem acessar por aqui.

Ou Aqui.


AnteriorPróximo

3 ideias sobre “LoMa – Volume 4 – Capítulo 2

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s