LoMa – Volume 4 – Capítulo 16

AnteriorPróximo


Escrito por Mishima Yomu/Wai (三嶋 与夢)
Traduzido Originalmente ao Inglês por Kuroinfinity


Vilão

 
Domínio da Família Berkley.

— É um território com nada.

O lugar realmente era roça.

Derrick parecia estar vivendo bem, então pensei que seu domínio fosse mais desenvolvido, mas acho que estava errado.

Algumas partes tinham florescido a zonas urbanas, mas o resto não era nada especial… não, eles eram uma roça subdesenvolvida.

Seus padrões de vida também não pareciam lá muito bons.

As circunstâncias do residente comum eram horríveis.

Apesar de alguns deles terem acesso à eletricidade, todos os outros estavam praticamente vivendo em níveis medievais.

Na propriedade da família Berkley, eu me reclinava na cadeira que o Senhor normalmente ficaria sentado, e descia meus olhos sobre a figura amarrada de Cashimiro diante de mim.

— … Pois bem, como devo lidar com você?

Eu havia invadido e tomado o lar de outrem com forças armadas, e estava agora cruzando minhas pernas na cadeira dele arrogantemente, como se fosse o dono do lugar.

Nesse estado, eu ouvia Cashimiro realizar sua súplica.

— Lhe oferecerei meu pescoço, então peço que me permita realizar um acordo.

Ao meu lado, Tia o olhava com nojo.

— Isso não é nem mesmo perto do bastante.

Era o mesmo para Marie.

— Apenas um pescoço seu não vale o bastante para isso.

Eu nunca quis uma coisa dessas em primeiro lugar.

Minha vitória era apenas algo óbvio.

Foi culpa deles pensar que um amontoado de Barões teria alguma chance contra um Conde como eu.

A diferença entre nossos território era ampla demais.

Porém, de uma coisa eu fiquei convencido.

De fato, desenvolver o próprio território era essencial.

Mesmo a família Berkley em si não parecendo lá muito forte, a qualidade de seus soldados me surpreendeu.

Recrutar os cidadãos de seus pobres estilos de vida para criar soldados instantâneos através do uso de cápsulas educacionais era incrivelmente eficiente.

Porém, os problemas que surgiriam disso não valiam a pena.

Além disso, eu não senti nada além de desprezo quando vi as terríveis condições em que as pessoas viviam.

… Eles não tinham mais nada a ser tomado.

Realmente, desenvolver seu território era indispensável.

Quando Cashimiro tentava se aproximar de mim, os Cavaleiros ao seu lado o seguraram, pressionando sua cabeça contra o chão.

— Eu estou implorando! Lhe darei todos os meus tesouros. Até entregarei tantos dos bens da minha casa quanto possível! Então por favor, apenas poupe a minha família! Ouvi que você era um governante virtuoso. Então só uma vez. Por favor, acredite na família Berkley só essa única vez! Nós nunca o trairemos, e todo o nosso clã jurará lealdade a você!

Só para salvar sua família da execução, ele estava disposto a sacrificar sua vida e abandonar todas as suas posses… Mas que estória maravilhosa, não?

Tia parecia irritada.

— Mentira descarada. Quando se considera tudo o que fizeram até agora, de modo algum nós poderíamos acreditar em uma coisa dessas.

Cashimiro levantou sua cabeça e implorou:

— Eu estou implorando! Por favor, pelo menos minha família!

Isso mesmo.

Ofereça-me sua vida, ofereça-me sua fortuna.

Tudo pela minúscula chance de receber minha misericórdia.

— Me convenceu. Okay, irei perdoá-los.

— Senhor Liam?!

Levantei minha mão ante à exclamação surpresa de Marie e me virei para Cashimiro:

— Irei perdoá-los… depois que sua família houver perecido, não terei como negá-los isso nessa hora.

— O-o quê?!

Para início de conversa, matar Derrick… um único membro do clã deles, me trouxe incontáveis problemas com o resto de sua família desde aquela hora.

Então executar apenas Cashimiro indubitavelmente traria mais incômodos no futuro.

— Arrependa-se por ter me desafiado. A punição de um Barão por cometer transgressões contra um conde como eu é severa.

— E-espere um pouco!

— Cashimiro… eu posso não ter muito interesse em seu território, mas definitivamente farei bom uso dele no futuro.

Pode não haver nada para que eu tome do domínio em si, mas pelo menos irei saquear o que eles têm na propriedade.

Pilhagem era um aspecto essencial de ser um Senhor Maligno.

— Todos os oficiais da família Berkley e executivos serão publicamente executados diante da população. Deixem-no saber quem é seu novo Senhor.

Ouvindo meu julgamento, Eulísia pareceu um pouco preocupada:

— Tenente-general estás, certo disso? É costumeiro que crianças ainda não maduras sejam enviadas para planetas de fronteira após serem despidos de seus status nobres.

— O quê? Existiam convenções assim?

— Também há as mulheres que foram casadas à família Berkley contra a vontade. Precisamos investigar essas questões completamente…

Marie escarneceu em resposta às palavras de Eulísia.

— Não há necessidade nenhuma. Essas coisas já foram investigadas anteriormente.

Aparentemente, já havíamos investigado essas coisas antecipadamente.

Embora Marie geralmente não fosse muito útil, ela tinha seus momentos que mostravam sua verdadeira competência, o que às vezes acabava dificultando avaliá-la.

— Okay então, comece as execuções imediatamente, e alguém entre em contato com o Império…

— É para isso que estou aqui.

Já que Tia havia dito isso com um sorriso, decidi deixá-la lidar com isso.

— Certo, então deixarei isso com você nesse caso. Estarei retornando à nave-mãe para relaxar, já perdi o interesse.

◇ ◇ ◇

Após Liam ter partido.

Cashimiro começou a chorar e derramar lágrimas.

— Perdeu o interesse… ELE JÁ PERDEU O INTERESSE?!

A atitude que Liam tomava era como se eles nunca houvessem sido uma ameaça desde o começo.

Ele disse que não estava interessado no que tinha sido acumulado aqui, e pareciam realmente estar buscando a destruição da família Berkley.

Mesmo havendo tantas histórias sobre ele ser um governante benevolente e virtuoso… a realidade era diferente.

— Acho que eu estava errado… esse é o fim.

Vendo a família Berkley que havia crescido tanto ser destruída por uma única criança, Cashimiro não podia fazer nada além de rir.

— Vai pro inferno, pirralho de merda! Eu serei o primeiro lá para te receb…

Ele não pôde dizer mais nada além disso.

Porque Tia havia pisado nele.

— Cala a boca. Já me dá nojo um homem como você sequer falar com o Senhor Liam.

Os Nobres Piratas.

Como alguém que tinha rancor contra piratas, Tia não tinha qualquer intenção de mostrar sequer o mínimo de clemência para Cashimiro.

— Preparei um método de execução especial só para você. Trabalhe duro para me entreter. Mas não se preocupe… todo o resto da sua família também será enviada logo depois.

Enquanto esse sorriso sádico pairava sobre o rosto de Tia, um dos Cavaleiros a chamou:

— Cavaleira chefe, se executar até mesmo as crianças, a reputação do Senhor Liam será danificada.

Tia ficou séria ao ouvir o nome de Liam.

— Pelas ordens do Senhor Liam, fui dispensada como sua Cavaleira chefe. Sou apenas uma Cavaleira normal agora.

— Hã?

— Fique tranquilo, todas as crianças que ainda não chegaram à maioridade serão enviadas para planetas remotos.

Serão banidos para severos planetas de fronteira onde serão forçados a viver em pobreza.

… embora fosse incerto por quanto tempo seriam capazes de sobreviver.

Marie — que assistia a situação silenciosamente — agarrou Cashimiro.

— Cashimiro, há uma montanha de coisas que quero ouvir de você, então vamos conversar um pouco antes da sua execução.

Vendo Marie agarrá-lo, os Cavaleiros começaram a tremer.

Todos os seus olhos se focaram em Tia.

— Sra. Tia, está tudo bem com isso?

Ela não iria repreender Marie por sua conduta egoísta?

Porém, Tia parecia diferente de seu eu de sempre.

— Desde que ela não o mate, deve estar tudo bem. Aquela mulher deve entender pelo menos isso.

Os Cavaleiros ficaram assustados ante a vista das duas que sempre brigavam não entrando no caminho uma da outra.

◇ ◇ ◇

O cadáver de Cashimiro foi colocado em exibição para o território Berkley.

Os residentes olhavam para ele com emoções sombrias crescendo dentro de si.

O guia se misturava com a multidão nesse lugar.

Ele parecia estar sofrendo.

— … Usarei os sentimentos negativos que teve para com o Liam.

Ele absorveu o rancor de Cashimiro.

As emoções sombrias sobre Liam que cercavam o território também foram assimiladas.

A razão dele ser tão odiado era porque os soldados Berkley eram conscritos das famílias da população.

Sendo aquele que os matara, era natural eles terem nutrido rancor contra Liam.

Absorvendo seus sentimentos negativos, o guia pôde finalmente relaxar um pouco.

Após reunir seus rancores, o guia ansiou por ver Eulísia, que era uma garantia de segurança que ele havia preparado antecipadamente.

◇ ◇ ◇

Três meses após a guerra contra a família Berkley.

A ajudante de Liam — Eulísia — atualmente o providenciava com suporte em seu escritório.

E nesse exato momento se encontrava sozinha com ele.

Eulísia cerrou seus olhos enquanto via Liam trabalhar tão seriamente.

(Acho que agora é a hora.)

Tendo estudado tudo sobre a vida de Liam, Eulísia estava convencida de que agora era o momento mais oportuno.

Liam também era um homem.

Até mesmo ele tinha desejos sexuais, ou melhor, os dele eram mais fortes que o normal.

Porém, ele nunca punha suas mãos nas mulheres em volta de si, e não era muito bom em aliviar seus desejos sexuais.

Estava claro que ele estava acumulado.

Alheia à presença do guia, Eulísia decidiu-se a agir enquanto ele a assistia.

O cachorro também os observava… mas então deixou a sala.

(Assim é bom, Eulísia! Agora mate-o!)

Eulísia… cuja mente estava preenchida apenas com pensamentos de Liam, deixou sua caneta cair.

Ela deliberadamente virou suas costas para ele, curvando seu torso para pegá-la, enquanto “acidentalmente”, mostrando a calcinha que vestia sob sua saia.

Liam deu-lhe um olhar de relance.

(Ele mordeu a isca!)

Todas essas ações eram calculadas.

Até mesmo suas roupas íntimas foram escolhidas com ênfase em funcionalidade.

Elas não tinham muito apelo sexual, mas essas eram exatamente a preferência de Liam.

Porém, isso não teria sentido se não possuíssem apelo nenhum.

Liam tinha gostos muito difíceis, ou melhor, sua zona de ataque era muito estreita.

Mas tendo o investigado completamente, Eulísia sabia de tudo que precisava saber.

(Esses são o tipo exato de roupas íntimas que ele gosta!)

Ela levantou seu torso lentamente e “notou” seu olhar, virando-se para ele com um sorriso.

Ela então cobriu sua bunda com as mãos timidamente… mas era tudo um ato.

— P-por favor, perdoe-me, tenente-general.

— N-não, está tudo bem.

Após ver Liam constrangido, Eulísia se convenceu de sua vitória.

(Ei, seu rosto está corado.)

O guia torcia por Eulísia enquanto ela olhava para Liam com um sorriso bestial.

Embora algo parecesse meio estranho, ele sabia que seu rancor contra Liam era sincero.

Ele não iria se importar com coisas pequenas.

— Isso é ótimo, Eulísia! Use suas técnicas de sedução para fazer Liam abaixar a guarda, então mate-o. Você consegue!

Eulísia sorriu, mas logo quando ela estava prestes a tentar Liam…

— Senhor Liam!

… Nias irrompeu na sala enquanto chorava.

Além do mais, logo em um traje de banho.

Ela estava usando uma jaqueta por cima, mas isso não fazia nada para cobrir as vestes de banho azul-marinho que tinham uma etiqueta branca de identificação sobre seu peito.

“Nias” estava escrito ali.

Vendo essa figura, Eulísia imediatamente entendeu.

(Você de novo?!)

Se ela estivesse apenas interrompendo, seria fácil mandá-la de volta, mas o problema era sua aparência.

Era uma camada interna combinada com roupas de trabalho funcionais, e ainda assim eróticas.

… Elas combinavam perfeitamente com as preferências de Liam.

(Isso destrói completamente qualquer impressão que minha calcinha fez…)

Mas quando Eulísia se virou para olhar para Liam, ele mostrava uma reação diferente do que havia esperado.

Ele murmurou “um maiô escolar?”… ou algum em torno disso.

Elas combinava completamente com os seus gostos, mas ele não parecia nem um pouco interessado… ou melhor, ele na verdade olhava para Nias com olhos cheios de pena.

Nias continuava a chorar, completamente alheia à reação dele.

— Senhor Liam, escuta só, por favor! O orçamento e material que você enviou foram tirados de mim! Já que estou desenvolvendo o que ultimamente será seu no final, esse problema é seu também! Eles estão indo longe demais~!

Mas que merda ela fez?

Se o alto escalão do sétimo arsenal tomou, ela deve ter causado uma comoção e tanto.

Pensou Eulísia enquanto sacudia sua cabeça.

— Capitã de Tecnologia Nias, o tenente-general atualmente está ocupado com o trabalho. Por favor, retire-se das premissas.

Mas Liam olhou para a choramingante Nias… e a perdoou.

— Está tudo bem. Ninguém vai reclamar mesmo se o meu trabalho atrasar um pouco. Além do mais, isso parece divertido. Nias, você sequer percebe como está parecendo no momento? Que aparência é essa?

Ainda fungando em prantos, Nias tinha caído sentada no chão enquanto retirava seus óculos.

— Isso é porque recebi as ordens de cima enquanto estava no meio do trabalho! Mesmo sendo novas tecnologias que eu queria experimentar! Claro, havia um risco de explosão, mas isso é só uma parte natural do desenvolvimento!

Não, isso definitivamente não é bom. Enquanto Eulísia refutava internamente, foi aturdida pela resposta de Liam.

— Acho que não tem jeito. Irei falar com os seus superiores no sétimo arsenal por você.

— Muitíssimo obrigada!

Nias então foi abraçá-lo, e apesar dele parecer irritado, também parecia um pouco feliz.

Apesar de não parecer minimamente excitado, ele parecia estar se divertindo.

Vendo seu sorriso… Eulísia instintivamente soube que havia perdido.

Era como se ela houvesse sido mostrada à distinta diferença entre si e alguém “natural” que ela nunca seria capaz de superar.

Ela caiu de joelhos.

Assistindo a situação, o guia soltou um surpreso “Eh?!”, e quando Eulísia, sentada no chão, começou a chorar, Liam a chamou:

— E-ei, qual o problema?

— Eu fiz o meu melhor! Eu me esforcei ao máximo por décadas só para poder te abandonar!

Em frente aos atordoados Liam e Nias, Eulísia continuava a chorar nos seus joelhos.

Liam se dirigiu a ela:

— … Então você estava tentando me seduzir, só para poder me jogar fora?

Nias bufou:

— Acho que havia um problema antes mesmo de você jogá-lo fora.

Essa frase viera de uma adulta vestindo um maiô escolar.

Eulísia enterrou seu rosto nos joelhos e continuou a chorar:

— Eu fiz o meu melhor! Eu… Eu me retreinei no exército, entrei nas forças especiais, ganhei várias qualificações, tudo para poder ser colocada ao lado do Conde!

Liam tinha uma expressão indescritível em seu rosto:

— Você fez tudo isso por mim?

Eulísia deu um pequeno aceno com a cabeça.

Tudo para engodar Liam.

No canto do cômodo, o guia caiu de joelhos.

— … você só pode estar de brincadeira comigo.¹

Apesar de Eulísia certamente arder com um desejo de vingança, ele não achou ela quisesse apenas jogar Liam fora em uma rejeição.

Liam coçou sua bochechas com o dedo.

— Me desculpe, você é apenas uma das garotas decepcionantes que eu conheço.

Nias fazia uma expressão triunfante.

— Oh, então você conhece outras garotas decepcionantes também? Que dureza, Senhor Liam.

— Você é uma delas.

— Eh?!

Ignorando Nias e a expressão surpresa que ela fazia, Liam virou-se de volta para Eulísia e a chamou:

— Eu entendo. Está tudo bem, você ainda pode me jogar fora.

Eulísia continuou a chorar:

— Mas você nem se confessou para mim…

Ela iria jogá-lo fora depois dele se confessar. Isso era algo que ela não abriria mão.

— Isso realmente importa? Bem… okay.

Liam sentiu pena da garota decepcionante, para que ela pudesse jogá-lo fora e seguir em frente com sua vida.

— Eulísia, quando eu finalmente deixar o exército, venha comigo.

Ouvindo a confissão de Liam, todo o rosto de Eulísia se abriu em um sorriso… e então ela percebeu algo.

(Espera… se eu rejeitar o convite dele aqui, não irei ficar presa nas forças armadas por centenas de anos?)

Ela havia sido treinada ao ponto de ser delegada às forças especiais.

E treinamento não era de graça.

Naturalmente custava dinheiro, e a quantia necessária para treinar um único soldado era enorme.

Além do mais, esses custos apenas cresceriam com cada curso educacional participado para ganhar novas habilidades.

As forças armadas não liberariam Eulísia facilmente depois de investir tanto nela.

E assim…

(Mesmo se eu continuar a conhecer outros nobres, existe realmente alguém por aí melhor que o Conde?)

… O objetivo original de Eulísia era o de se tornar a esposa ou concubina de um aristocrata promissor.

Com isso em mente, rejeitar Liam aqui estava completamente fora de questão.

Afinal, não havia ativo mais promissor no império que ele.

Kurt tinha potencial também, mas a diferença entre os dois era simplesmente vasta demais.

Aparência… passa.

Personalidade… passa por pouco.

Bens… ótimos.

Potencial futuro… premium.

Eulísia olhava para o rosto de Liam com uma intenção séria.

— Ei, qual o problema? Você não ia me jogar fora?

Ela o abraçou de repente.

— Irei segui-lo pelo resto da minha vida, Conde!

Nias não iria simplesmente deixar isso passar facilmente, todavia:

— E-ei, sua! Deixando de lado como ele pensa que sou uma garota decepcionante, o Senhor Liam é meu patrono!

— Eu não sou seu! Na verdade, me larga logo! Para de me olhar assim!

Eulísia respondeu enquanto se grudava em Liam:

— É porque você tem um futuro promissor, Conde! Além do mais, você só tem uma esposa, e nenhuma concubina ou amantes no momento!

Se ela conseguisse se esgueirar para uma dessas posições, ainda seria uma vencedora no final.

Pensando nisso agora, ela havia tecnicamente tido sucesso em seduzi-lo, então qual era o problema?

Seria um desperdício jogá-lo fora.

— E-ei! Eu falei que você era só outra das garotas decepcionantes que eu conhecia!

— E mesmo assim quando eu pedi para me levar, você pediu que eu o seguisse!

Incapaz de aguentar mais os três, o guia se levantou e mostrou-se diante de Liam.

É claro, ele também havia parado o tempo.

Os olhos de Liam se arregalaram com a aparição do guia.

— Já faz muito tempo, Liam!

O guia havia decidido jogar tudo francamente na cara do Liam.


Brian(´ω): — É doloroso. Levou quatro volumes, mas uma potencial candidata a concubina finalmente apareceu. Seu harém ainda está longe, Senhor Liam.


Delongas: kkkkkkkkkkk Que virada de eventos mais estranha e engraçada.


Tradução: Batata Yacon   |   Revisão: Delongas


Ei, se estiverem gostando do projeto e desejarem ajudar um pouco, vocês podem fazer isso acessando o link abaixo, solucionando o Captcha e aguardando dez segundos para ir à nossa página de agradecimentos.

Podem acessar por aqui.

Ou Aqui.


AnteriorPróximo


Notas:
1. Delongas:kkkkkkkkkkkkkkkkkk

6 ideias sobre “LoMa – Volume 4 – Capítulo 16

  1. Daniel Bento

    Obrigado pelo capitulo!!!
    Por mais que ache uma bosta harem, ver o Liam com atitudes que não condizem com sua idade é um pouco decepcionante kkkkkkk

    Curtido por 1 pessoa

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s