LoMa – Volume 3 – Capítulo 8

Anterior| Próximo


Escrito por Mishima Yomu/Wai (三嶋 与夢)
Traduzido Originalmente ao Inglês por Kuroinfinity


Dois Mil Anos de História

 

Eu estava agora em meu terceiro ano de escola fundamental.

Por sorte, fui capaz de obter permissão para uma curta saída para visitar o Sétimo Arsenal.

Eu estava visitando para conferir o progresso do meu pedido.

— O que vocês estão fazendo?

havia um monte de pessoas abraçando e se esfregando contra o Ávido.

Nias estava entre elas, se agarrando nele como um panda.

Ela não pareceu me perceber quando a chamei.

— Ó meu Avidozinho, foi difícil, não foi? A mamãe aqui está tão orgulhosa de você.

…… Aparentemente, a renovação do Ávido foi mais difícil do que pensei.

Ela tinha quebrado a Nias.

Olhando para o Ávido, não parecia muito diferente.

Entretanto, aparentemente tanto a armação e armadura agora eram completamente de metais raros.

Seu desempenho agora ultrapassava em muito aquele da atual geração de máquinas.

… Eu estava satisfeito olhando as configurações exibidas no catálogo.

Entretanto…

— Não gostei.

Quando murmurei isso, Marie encerrou a distância entre nós em um instante e desceu sob um joelho.

— A-alguma coisa não o satisfaz?

Ela era uma ninja ou alguma coisa assim?

Bem, estava tudo bem.

— Eu deveria ter enviado um pouco de ouro também. Armadura negra com linhas prateadas são boas, mas prefiro ouro.

Nesse momento, Nias prestou atenção.

— Quem foi?! Quem se atreve a conspurcar meu filho com as cores de seu mau-gosto?!

Ela disse que minhas preferências eram porcaria.

Marie se levantou e puxou um dos cabos de espada que ela tinha pendurados de sua cintura.

Quase imediatamente, uma lâmina se estendeu de tal cabo.

Era uma arma do tipo armazenável construída com conveniência em mente.

— Nias, você é uma excelente engenheira, então terminarei isso com um balançar em deferência a sua conquista de renovar o Ávido.

Nias começou a berrar por mim:

— GYAAAAAA!!! SENHOR LIAAAAAM!!!!!

A resposta dela não era similar àquela de alguém vendo um fantasma?

— Nias, se afaste do Ávido. A máquina pessoal do Senhor Liam ficará manchada com o seu sangue do contrário.

— Já chega.

Falei para Marie, cujo olhar congelara, para abaixar a arma porque parecia que iria matá-la.

— Nias, como desculpas, irei esquecer que falou essas palavras de há pouco, mas as partes do Ávido que são prateadas eu quero repintadas de ouro.

Os olhos de Nias se encheram de lágrimas.

— Eu não quero!

— Ora sua…!

Ela imediatamente recusou meu pedido.

E enquanto Marie começou a levantar sua espada em resposta, a impedi para que ela pudesse explicar:

— As partes prateadas estão conectadas com a armação interna. É tudo mithril. É o lustre prateado de algo muito mais valioso que ouro!

— Mas eu ainda gosto mais de ouro. Melhor ainda, vamos pintar todas as partes não-prateadas de dourado também!

— É por isso que você tem mau gosto. Não consegue entender o quão brilhante esse lustre de adamante é?!

Os brasões e padrões no Ávido são todos prateados.

Nias refutou meu desejo de ter tudo repintado de ouro.

…… Se não fosse ela falando isso, eu teria arrancado a cabeça.

— Se você pintar por cima do mithril, o desempenho vai cair! Se eu quantificasse em números, a saída de força vai cair entre dois a cinco por cento!

… Eu estava bem com isso.

— Sem problemas, apenas repinte.

— Não estava sequer pintado em primeiro lugar! Esse lustre negro é a cor natural de adamante! Ahh… meu adorável Ávido está sendo maculado com o mau gosto de outrem.

Nias estava chorando enquanto se agarrava ao Ávido.

Marie se virou para mim:

— Senhor Liam, quer que eu torture ela?

— Ela é uma garota decepcionante, mas eu gosto bastante dela, então perdoo isso. Porém, como punição, ela terá que pintar o Ávido pessoalmente, não importa o quanto odeie isso.

Ordenei a Nias, que era completamente contra o meu pedido, a pintar o Ávido pessoalmente.

— Uwaaa~n, Senhor Liam seu idiiiiioooooooota~!

Era divertido assistir a Nias enquanto ela chorava, e após fazer mais alguns ajustes ao Ávido, retornei à escola fundamental alguns dias depois.

◇ ◇ ◇

A escola fundamental enquanto Liam estava fora.

Rosetta foi convocada por um dos oficiais apontado para manter sua família sob vigilância.

— … Você quer participar no torneio?

Os oficiais perguntaram a Rosetta, que parecia completamente desgastada.

— Nós generosamente permitimos que frequentasse a escola fundamental. Por que não participa e cria algumas memórias?

— Como uma filha da Casa Ducal Cláudia, você realmente vai evitar participar como uma covarde?

— Você pode simplesmente pegar dinheiro emprestado para cobrir as taxas de aluguel. Eu até te apresentarei a um conhecido meu para o empréstimo.

Eles sabiam que ela apenas acabaria se envergonhando.

Enquanto o prestamista sem dúvida nenhuma apenas ofereceria a ela empréstimos de juros altos.

Qualquer pessoa decente nunca tentaria se envolver com a Casa Cláudia.

— … Entendido.

Mas ela não podia recusar.

Isso porque Rosetta não podia aguentar mais assédio nenhum dos oficiais.

Às vezes duraria por tanto tempo que ela não seria capaz de obter sono nenhum por dias sem fim.

Enquanto eles a atormentariam em rotação, então seus fardos eram pequenos.

— Como esperado da próxima Duquesa! Além de você, o Senhor Derrick da Família Berkley, e Liam — o garoto que fez um nome para si através de caçadas a piratas — também estarão participando este ano! Esse certamente será um evento interessante.

O nome de Derrick havia sido chamado com o prefixo de “Senhor”, enquanto o nome de Liam fora chamado sozinho — isso era o bastante para se entender a lealdade deles.

Eles eram oficiais corruptos próximos dos Nobres Piratas.

(Eles vão rir de mim quando eu acabar ferida durante a partida?)

O torneio era um evento perigoso.

Houve até mesmo vezes em que fatalidades ocorreram.

Em um evento desses, qualquer um riria de uma idiota disposta a participar com um modelo desatualizado.

O espírito de Rosetta já estava quebrado.

(Preferivelmente, eu só quero que a partida acabe rápido.)

Então o oficial martelou o último prego no caixão:

— Ah~ é mesmo. É melhor você não ter nenhuma ideia estranha. Aparentemente o Conde Banfield está pensando em se casar com você, mas no momento que ele descobrir sobre a dívida da sua Casa, ele vai fugir como todo mundo. Ah, já sei, por que não tenta carregar uma criança do Liam? Se uma pessoa como você, que todos sabem que odeia ele, se prostrar diante do Conde, ele provavelmente acatará. Se isso é tudo que você está almejando, ficaremos felizes em cuidar das negociações por você.

Era uma frase dita sabendo de seu ódio contra o Liam.

Rosetta já havia desistido.

— … podem fazer o que quiserem.

◇ ◇ ◇

Liam não era o único se preparando para o torneio.

Aproximando-se do planeta onde a escola fundamental estava localizada — uma frota pirata.

Centenas de naves piratas foram reunidas pelo Derrick.

Porém, com apenas essa quantidade eles não estavam dispostos a atacar o Liam.

— Somos apenas nós?

Os piratas estavam ansiosos sobre arruinar o humor de Derrick.

— Senhor Derrick, nós vamos r-realmente lutar contra o Caçador de Piratas Liam?

— Não importa quão grande seja a recompensa que oferece, não vou atacar aquele cara.

— Mesmo frotas de piratas bem conhecidas nunca tiveram chance contra ele.

Derrick estalou seus dedos para aqueles que estavam ficando de joelhos fracos.

Luzes brilhantes de repente se acenderam em resposta, e iluminado no hangar atrás dele estava um novo modelo de cavaleiro móvel.

Os piratas exclamaram em clamor.

— Esse é o novo modelo construído pelo Primeiro Arsenal. Encomendei deles à força. Iremos usar isso para matar aquele bastardo do Liam.

A estratégia do Derrick era…

— É um torneio de escola fundamental, e se for entrar, você pode trazer apenas um cavaleiro móvel consigo. No dia do torneio, vocês irão descer da atmosfera para o local do evento e cercarão o Liam. Não precisam se preocupar sobre perturbação nenhuma interferindo. Os oficiais que vigiam a Casa Cláudia estarão nos dando seu suporte.

Para os oficiais que apreciavam atormentar a Casa Cláudia, um casamento com Liam não podia ser permitido.

Então decidiram dar uma mão ao Derrick.

Derrick estava frustrado.

Em seu último ataque ao Liam, ele ainda não havia sido capaz de recuperar “aquilo” de volta.

“Aquilo” foi perdido no território da Casa Banfield, então seria impossível recuperar enquanto a frota deles estivessem no caminho.

— Aquele que matará o Liam… serei eu.

Na escola fundamental, ele estava tão amedrontado que não conseguia mais deixar o dormitório.

Era o mesmo para o resto dos estudantes do segundo edifício escolar.

Eles não podiam mais oprimir os estudantes dos outros edifícios.

Porque na rara chance de se encontrarem com o Liam… seria o fim deles.

Se as coisas fossem como antes, então eles seriam capazes de fazer o que bem entendessem, sempre que quisessem.

Mas agora eles estavam vivendo com medo do Liam.

— … Certifiquem-se de matar o Liam. Desde que o cerquem com o novo modelo enquanto atacam, então ele não será nada a se temer.

Ele era apenas um pouco mais forte que uma pessoa normal.

Desde que o cercassem enquanto atacam, ele não era nada.

Derrick repetia isso como se para se convencer, enquanto mordia a unha de seu polegar.

(Sim, vai ficar tudo bem. Eles podem parecer como cavaleiros móveis usados por piratas, mas são modelos caros novos em folha. Eu definitivamente irei matar aquele bastardo do Liam com isso!)

◇ ◇ ◇

O Primeiro edifício escolar da escola fundamental.

Kurt e Wallace estavam conversando no banheiro masculino.

— Eu? Não, não vou participar.

O assunto era o torneio próximo.

— Você não tem uma licença de espada? Não é forte o bastante?

Kurt, o herdeiro da Casa Exner de Barões, não pretendia participar do torneio.

— Não havia nave nenhuma disponível para pegar de casa, e mesmo se eu alugasse uma, ainda não teria chance nenhuma contra o Liam.

— Acho que sua casa também tem seus próprios problemas, huh?

— As coisas na verdade estão um pouco melhor agora que alugamos naves dele.

Graças ao suporte do Liam, seu território estava florescendo.

Entretanto, isso era apenas a certo ponto.

Kurt não podia se dar a luxos.

Wallace tinha uma expressão preocupada em seu rosto.

— Ei, não tem jeito absolutamente nenhum de eu impedir o Liam? Se o Derrick da Família Berkley entrar também, então ele definitivamente irá matá-lo e iniciar uma guerra.

Mas Kurt disse a Wallace que era impossível:

— Liam não muda de ideia facilmente. Além do mais, ele esteve de olho no Derrick já há algum tempo. Então… ele provavelmente iria fazer isso depois de qualquer jeito.

— Mas o oponente dele é o Nobre Pirata! Eles têm muitos aliados de fora de sua família!

Eles tinham um número enorme de companheiros, especialmente dentro da nobreza.

— Mesmo assim, o Liam nunca mostrará misericórdia nenhuma para piratas.

Wallace estava preocupado:

— Não posso abandonar meu patrono, mas ele é virtuoso demais… merda, por que é que eu nunca consigo uma folga?

Sua vida era cheia de problemas como realeza, mas mesmo após achar um patrono, nada havia mudado.

◇ ◇ ◇

Propriedade Banfield.

Convidadas lá, estavam a atual Duquesa da Casa Cláudia e sua antecessora.

Sem servo nenhum para auxiliá-las, elas tinham sido convidadas para a mansão de Liam.

Elas foram recebidas pelo mordomo Brian… assim como vários cavaleiros e servos em volta dele.

— Estivemos esperando por vocês… mas quem são as pessoas que trouxe consigo?

Brian sorriu enquanto olhava para os oficiais imperiais de pé atrás delas.

— Apenas nos considere a escolta da Casa Cláudia. Não precisam se preocupar conosco.

Foi o que disseram, mas dirigiram olhares afiados para Brian.

Eles não pareciam muito amigáveis.

Serena estava os assistindo silenciosamente.

Enquanto se moviam para a sala de visitas, decidiram separá-los porque eram indubitavelmente os supervisores.

— Brian, eu irei lidar com os oficiais.

Quando Serena lhe disse isso, Brian assentiu.

— Eu queria que a Duquesa e sua antecessora se encontrassem com uma pessoa do mesmo sexo, mas eu entendo. Deixe as negociações comigo.

Brian estava disposto a fazer qualquer coisa para que esse noivado passasse.

◇ ◇ ◇

A sala de visitas.

A atual Duquesa — a mãe de Rosetta — estava apoiando sua antecessora, cujo semblante havia ficado fatigado.

Brian correu para a antecessora:

— V-você está bem? Eu chamarei um médico imediatamente.

Entretanto, a antecessora sacudiu sua cabeça.

— Já é tarde demais. Tudo o que quero fazer agora é… usar o resto desta vida pela minha neta.

O corpo da antecessora havia sido enfraquecido após aguentar as pobres condições de vida em um ambiente severo por um longo tempo.

— … Sir Brian, nós gostaríamos de recusar a proposta de noivado.

— P-poderia por favor me dizer o porquê? O Senhor Liam está sério quanto a isso.

— E esse é precisamente o porquê. A Casa Cláudia está muito feliz em ter tamanha bondade dirigida a nós, mas não é só a dívida que estaríamos forçando sobre a Casa Banfield. Você não notou aqueles oficiais que se chamaram de nossa escolta? Eles são… pessoas que existem apenas para nos torturar, não podemos forçá-los em vocês.

Por incontáveis gerações, eles foram pessoas que usaram o comando do falecido imperador como justificativa para fazer o que bem entendessem.

Eles foram impiedosos, e cometeram vários atos atrozes já que não havia ninguém para impedi-los.

O sofrimento de outros lhes traz alegria… esse é o tipo de homens que eles são.

A atual chefe… a Duquesa se curvou profundamente.

— Pelo menos, nós aceitamos os sentimentos de Sir Liam. Por essa bondade que nos mostrou, a Casa Cláudia vos agradece.

Brian começou a chorar após ouvir sobre suas circunstâncias.

E pensou:

(O Senhor Liam queria ajudar essas pessoas. Este Brian aqui está orgulhoso de como ele cresceu bondoso.)

Brian esfregou suas lágrimas com um lenço.

— … Eu recuso sua recusa.

Quando as duas o olharam em surpresa, ele adicionou apressadamente.

— É o desejo do Senhor Liam receber Dama Rosetta como sua esposa, então este Brian nunca irá desistir!

A antecessora sacudiu sua cabeça:

— É inútil. Eles nunca permitirão tal coisa. Essa ordem que durou por mais de dois mil anos carrega muito peso.

“É o comando do falecido imperador.”

Eles continuaram as torturando por dois milênios usando isso como justificativa.

Ninguém pensava que algum dia isso pararia.

… Não havia outra escolha.

— O Senhor Liam não fraquejaria por uma coisa dessas, e já temos a permissão do império! A Casa Banfield está mais que disposta a carregar tanto os pecados e as dívidas da sua casa! Como membros de uma Casa Ducal, ainda estão insatisfeitas com isso?!

As palavras de Brian não alcançou as duas cujos espíritos tinham sido quebrados.

Mesmo assim, ele ainda desesperadamente tentou persuadi-las por Liam.

◇ ◇ ◇

Uma sala separada.

Serena conversava com os supervisores.

— Nós já temos permissão para esse noivado. O trabalho de vocês termina aqui.

Os oficiais sentando-se no sofá colocaram seus pés na mesa… assumindo uma atitude vulgar.

— Isso não importa. Estamos trabalhando sob as ordens do falecido Imperador. Mesmo se seus títulos mudarem um pouco, ainda continuaremos nosso trabalho. Apenas teremos que monitorar a Casa Banfield ao invés disso.

Após dois milênios, a organização deles havia crescido profunda e amplamente.

Eles eram um grupo problemático.

— … então estão dizendo que se tornarão hostis à Casa Banfield?

Um dos oficiais respondeu:

— Para início de conversa, casamento é impossível. Aquele pirralho do Liam foi longe demais. As trevas do Império irão engoli-lo.

Os olhos de Serena se cerraram:

— Depois mexerem com o Senhor Liam, vocês realmente acham que serão capazes de escapar livremente?

— Ele é só uma única criança um pouco mais forte que a norma.

Vendo a atitude deles, Serena entendeu:

(Tendo que lidar com pessoas assim… não é fácil para o primeiros ministro.)

A sombra de Serena contorceu-se levemente enquanto pensava isso.

Dentro dela havia dois olhos vermelhos, que cuidadosamente assistiam os oficiais.


Brian(´ω;`): — Ver o Senhor Liam fazer o legado do Senhor Alistair ser pintado de dourado é doloroso…


Tradução: Batata Yacon | Revisão: Delongas


Ei, se estiverem gostando do projeto e desejarem ajudar um pouco, vocês podem fazer isso acessando o link abaixo, solucionando o Captcha e aguardando dez segundos para ir à nossa página de agradecimentos.

Podem acessar por aqui.

Ou Aqui.


Anterior| Próximo

 

6 ideias sobre “LoMa – Volume 3 – Capítulo 8

  1. Daniel Bento

    Obrigado pelo capitulo!!!
    Sei que este capitulo foi para movimentar a história e trazer um paradigma geral do que está acontecendo por fora, mas só me deixa mais curioso pra saber como as coisas iram se desenrolar.

    Curtido por 1 pessoa

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s