LoMa – Volume 2 – Capítulo 3

AnteriorPróximo


Escrito por Mishima Yomu/Wai (三嶋 与夢)
Traduzido Originalmente ao Inglês por Kuroinfinity


Colegas Senhores Malignos

 

Eu havia encontrado uma fraqueza no Lampejo-Único.

Certamente, era um estilo incrível, mas era quase impossível se segurar durante seu uso.

É um estilo de espada projetado especificamente para matar seus oponentes.

Era possível se segurar, mas se estivesse enfrentando um oponente que fosse até mesmo um pouquinho mais forte que você… então não teria escolha senão matá-los.

O Lampejo-Único era uma escola muito especializada.

Até agora, eu nunca tive que me preocupar com tais coisas, por que só estive enfrentando piratas.

Que fraqueza.

— É um estilo que não posso realmente usar enquanto estudo fora.

Eu planejava ser um Senhor Maligno, mas isso era apenas em meu próprio território.

Enquanto ainda estava no domínio de outrem, eu tentava manter minha atitude em cheque.

Ou melhor, eu precisava.

Se eu fizesse um alvoroço no território do visconde, eventualmente seria derrotado.

A força de um indivíduo realmente não importava aqui.

Bem, eu ainda odiava perder.

Com isso dito…

— Liam, somos os encarregados de cuidar do jardim hoje de tarde.

Kurt, que esteve me ridicularizando antes, agora estava agindo estranhamente familiar de repente.

Ele tinha se trocado às suas roupas de trabalho e tinha as ferramentas necessárias preparadas.

— … Bem, acho que não há problema.

— O que foi?

O fato de que eu realmente não falava com meu próprio colega de quarto antes era um problema.

Então isso era bom, mas recentemente, não pude deixar de sentir que as garotas estavam me olhando com olhares assustadores.

Não eram só garotos que vieram treinar na casa viscondada.

Garotas também estavam aqui para treinar como aprendizes… elas foram confiadas a outras famílias para completar seus treinamentos matrimoniais antes de se casarem.

Com a Casa Razel sendo um lugar popular para se estudar, havia muitas garotas assim.

Mas os olhares que viravam para mim e Kurt têm sido assustadores recentemente.

Eu frequentemente as ouvia murmurar: “É Kurt e Liam” ou “Não, é Liam e Kurt”, etc.

Que merda era essa?

Às vezes, dependendo de qual nome fosse dito primeiro, elas começariam a brigar entre si. Isso era só um costume deste universo, ou algo único à Casa Razel? … O império intergalático era simplesmente amplo demais para se entender tudo.

Pensando sobre senso comum em geral, havia muitos casos de senso comum que podiam apenas ser entendidos pela população local.

A fim de corrigir tais mal-entendidos, não é essa uma das razões de se enviar alguém para outra coisa em treinamento em primeiro lugar?

As possibilidades eram infinitas.

— Liam, se não nos apressarmos, então o cavaleiro instrutor ficará zangado conosco de novo.

— Aquele velhote é cabeça quente demais.

Ele era um líder de pavio muito curto.

Eu realmente não desgostava disso, todavia.

Meio ano já havia passado desde que começamos a treinar.

◇ ◇ ◇

— Sabe ~ Eu realmente não tenho necessidade nenhuma de treinar a sério~.

Peter, que estava segurando uma espada de madeira enquanto se sentava em uma cadeira, não se moveu mesmo atualmente sendo hora de se exercitar.

— Na verdade, eu já tenho minha licença para a escola Arend, então não há razão nenhuma para se treinar mais.

Uma mulher em roupas esportivas repreendeu Peter, que dava desculpas do porquê de não poder se exercitar.

— Peter, você precisa mover seu corpo direito.

A mulher chamava-se [Katerina Sera Razel]

Ela era filha de Randolph e a pessoa que queria se tornar esposa de Peter.

Peter também favorecia Katerina — uma bela garota com olhos azuis e cabelos loiros amarrados em um rabo de cavalo.

— Rina, eu ainda seria forte mesmo se não treinar. Digo, no meu território eu era invicto.

Katerina, Rina, virou olhares de dúvida na direção de Peter, que não parecia muito forte.

— Se isso é verdade, então me mostre como você luta.

— Um homem de força verdadeira nunca luta exceto quando é realmente importante.

Rina estava irritada com Peter, que constantemente dava desculpas.

Fora do salão de treino, os filhos e filhas da nobreza que tinham vindo aqui para estudar mantinham o jardim.

Peter lançou um olhar condescendente para eles.

— Eu não gosto deles, nobres pobres deveriam apenas fazer seus trabalhos quietamente ao invés de vir para a escola.

Rina franziu enquanto o repreendia.

— Certamente, eles podem não ser filhos de casas poderosas, mas são melhores que você, um homem que nem se incomoda em se mover.

— Eles não são nada. Se eu lutasse com eles seriamente, não durariam por um momento sequer.

Em volta, as garotas que tinham vindo treinar traziam toalhas e bebidas que tinham preparado antecipadamente para os homens que lhe apeteciam.

Para elas, o salão de treinamento servia um propósito duplo para encontros.

Entretanto, nenhuma delas sequer poupavam um olhar para as crianças mantendo o jardim do lado de fora.

◇ ◇ ◇

Enquanto Liam ficava perturbado com quão fácil o treinamento era.

Tia, que tinha ido para uma universidade na capital imperial foi aproximada repentinamente por um estudante.

Ele era um homem da casa Razel.

— Você é Christiana? O senhor que você serve está atualmente estudando na casa da minha família no momento, sabia?

De repente trazendo as circunstâncias de seu empregador, Tia não sabia como lidar com a pessoa que se aproximara dela.

(Eu realmente não quero interagir com ninguém da Casa Razel, mas também há a atual posição de Liam como alguém estudando no território deles a se considerar. Devo simplesmente inventar algo aqui?)

Ele era um homem de aparência frívola.

Se fossem criados em uma casa estrita, nobres continuando seus estudos em uma das universidades da capital imperial estavam no equivalente a férias para se divertir.

Tendo dito isso, ainda havia algumas crianças que levavam as coisas a sério após chegar, mas a maioria não.

Com seu senso de liberdade recém obtido e muitos outros fatores, havia muitas pessoas que pulavam diretamente na vida mansa.

Esse homem era um deles.

— Er, sim, eu sei. Você é um filho da Casa Razel, correto?

— Sim, isso aí. Seu Senhor atualmente está sendo cuidado pelo meu pai. Se estiver de acordo, vamos trocar informações de contato. Nós provavelmente teremos muitas razões para conversar de agora em diante.

Tia não pôde deixar de ficar espantada com o que ele estava dizendo.

(Você está seriamente tentando flertar com uma cavaleira de outra casa? Você não é nada mais que um moleque que não sabe as implicações de suas ações. Embora, dependendo de como eu reagir, posso acabar danificando a reputação do Senhor Liam. Tenho que evitar isso a todo custo.)

A outra parte havia lhe chamado com segundas intenções.

Apesar de ela pretender rejeitá-lo desde o começo, ainda achou que ele era tolo por tentar usar suas casas como desculpa para criar uma relação.

— Não, eu estou bem, obrigada.

Respondendo com um sorriso, Tia foi embora caminhando.

(Lidar com essas coisas é tão problemática.)

◇ ◇ ◇

A residência da Casa Razel.

Eu conversava com Kurt em nosso quarto.

O conteúdo de nossa conversa era…

— Você não sabe como gerir o seu território?

— Oh, sim, algo assim. Nós meio que somos novatos. Foi realmente legal quando recebemos o território, mas também um pouco perturbador.

Um monte de terras de repente foi forçada em nós.

Eles ficaram gratos, mas os Exner que nunca haviam governado nada antes estavam perplexos.

— Eu simplesmente não sei quantos impostos devo pegar e como tratar o meu povo.

Como você deveria lidar com a população diferia de planeta para planeta.

Descobrir tal coisa requeria muito tempo e esforços.

Inversamente, mesmo se você estivesse administrando direito, eles indubitavelmente achariam algo com o qual ficarem insatisfeitos.

Havia até casos de pessoas se revoltando, criando um problema tão grande que o império tinha que intervir.

E quanto ao meu caso? Se eles começassem a reclamar, tudo o que eu tinha que fazer era enviar meu exército para suprimi-los.

Odeio pessoas que se opõem a mim.

Sou bondoso com aqueles que me obedecem, mas não há necessidade nenhuma de tratar outros do mesmo jeito.

— Você está pensando demais, apenas esprema o que puder deles.

— Não, mesmo se eu quisesse fazer isso, não posso. Eles já foram praticamente espremidos até a polpa.

Espremidos até a polpa? Eles já tinham sido espremidos de tudo?

Acho que ele realmente é um cara bem maligno.

Mas para a Casa Baronial Exner também querer espremer mais impostos — isso tem potencial.

Como um Senhor Maligno Camarada, devo dar alguns conselhos para ele?

Conexões são importantes, afinal.

— Deixe-me lhe dizer o que é importante. Antes que espremer um farrapo, você encharca ele em água, não é? Você não pode espremer nada de um farrapo seco.

— … é claro que não. Liam, do que você está falando?

— Não é óbvio? Antes de espremê-los, ajude seu povo a crescer primeiro. Quanto mais você investir neles, mais dinheiro eles ganharem, e mais se desenvolverem, maior será a probabilidade de se tornarem algo que você pode realmente espremer. Investimentos são importantes.

— Até eu sei até aí, mas isso não é exatamente uma coisa fácil de se fazer.

— Apenas faça! Alivie os impostos um pouco e invista neles. Se deixar eles em paz, eventualmente vão começar a desenvolver coisas sozinhos. Aguente uma vida frugal por um tempo, e quando eles estiverem ricos, você será capaz de espremer tanto quanto quiser! Ah, mas certifique-se de manter seu poderio militar separadamente.

Alguns nobres tinham medo de rebelião e não desenvolviam seus territórios demais.

Eles apenas permitiam àqueles que eram úteis a receberem educação, deixando seus domínios em um ambiente praticamente medieval.

… meus pais eram assim.

Se você fosse um nobre endividado, então você tem ainda mais razões para não querer investir no território.

Mas só era possível sangrá-los até secar quando fossem ricos.

— Essas palavras têm bastante peso considerando seu estado original como um Senhor, Liam.

— Sou um especialista quando se trata de espremer o meu povo.

Como seu Senhor Maligno sênior, irei lhe dar tantos dos meus conselhos quanto precisar.

Então certifique-se de me compensar se alguma coisa acontecer.

◇ ◇ ◇

Enquanto escutava Liam, Kurt pensava:

(Sim, a primeira coisa que preciso fazer é enriquecer a vida das pessoas foram espremidas até secar.)

O território que o pai de Kurt havia recebido já estava em um estado ruim quando o receberam.

E ainda assim, para manter suas forças e cumprir certas contribuições que eram obrigados, a Casa Baronial Exner havia espremido seu território do pouco que ainda tinha.

Eles sabiam que era melhor reduzir os impostos, mas as coisas não eram tão simples assim.

Para com as pessoas que haviam sido sangradas até praticamente secar, eles podiam apenas se desculpar.

— Custa dinheiro para acumular forças. É impossível fazermos qualquer coisa mais que isso. Os custos de manutenção são outro problema.

Tendo ouvido isso, Liam começou a franzir enquanto deitava-se em sua cama.

— Reduza o número. O que é importante é a qualidade e habilidade das suas forças. Ao invés de manter dúzias de embarcações velhas e obsoletas, você deveria tentar comprar várias dos modelos nova geração.

— Números são importantes, e também custa dinheiro para fazer isso. Não podemos tirar mais do povo.

— Então você realmente espremeu eles até secar…

Liam tinha uma expressão impressionada em seu rosto.

— Então pegue dinheiro emprestado. Desde que você pague os prestamistas, eles irão alegremente te oferecer. Oh, mas certifique-se de manter manter os prazos de pagamento, minha casa lutou com isso antes.

Kurt estava sem palavras com Liam que de repente havia começado a falar sobre tais coisas.

— Sem crédito, há um limite do que podemos pegar emprestado, e ainda somos novatos, então não temos nada para oferecer como garantia.

Liam começou a murmurar:

— Se é assim… então vou falar com meu echigoya.

— O que é um Echigoya?

Kurt estava honestamente feliz por ter vindo à casa viscondada para treinar.

Afinal de contas, um amigo estranho mas de confiança foi encontrado aqui.

(Mesmo o Liam tendo uma boca terrível, dizendo que estava espremendo seu povo e semelhantes, ele na verdade estava fazendo seu melhor por eles.)

Embora, isso fosse apenas um mal-entendido.

◇ ◇ ◇

A Companhia Henfrey foi contactada repentinamente por Liam.

— Hmm… isso é problemático.

— Qual o problema?

Após ser questionado por seu subordinado, Thomas respondeu que havia acabado de receber uma aplicação de empréstimo.

— A Casa Banfield pediu?

— Não, foi uma casa baronial. A casa novata Exner está realizando solicitação, mas não posso recusar porque foram indicados aqui pelo Senhor Liam.

Se fosse apenas a casa Exner pedindo, então não havia como eles emprestarem tanto dinheiro assim.

Mas quando o Liam estava envolvido, as coisas eram diferentes.

— Se o conde está apoiando, não deveria estar tudo bem oferecer uma mão a eles?

— Não é isso, estou mais preocupado com outra questão.

Ele havia ganhado uma vasta quantia de capital no território de Liam, então não era como se ele não pudesse.

Além do mais, ele estava em dívida com o Liam, então quando solicitado, ele se certificaria de empregar esforço máximo.

— Esses tipos de histórias se espalham rápido. Muitos nobres vão começar a solicitar empréstimos depois disso, sem intenção nenhuma de nos pagar.

— Aah, então esse é o problema.

“Já que emprestou dinheiro para o Barão Exner, pode nos emprestar um pouco também, certo?”

Pessoas com esse tipo de atitude começariam a assediá-los, com intenção absolutamente nenhuma de pagar.

A Companhia Henfrey recentemente havia ascendido em poder.

Eles tinham o suporte do Liam, mas eram bastante desprezados pela aristocracia.

— Não posso recusar se é o Senhor Liam pedindo, entretanto. Façam preparações para contactar o Barão Exner assim que possível.

◇ ◇ ◇

Meu Echigoya maligno… não, minha Câmara de Comércio Henfrey estava atualmente se apresentando aos pais de Kurt. 

Eu estava feliz por meu círculo de contatos vilanescos estar se espalhando.

— Se criarmos uma boa relação aqui, seremos capazes de nos ajudar em momentos de necessidade.

Eu atualmente estava em meu caminho para jogar fora o lixo que veio dos cuidados do jardim.

Uma voz podia ser ouvida por trás do edifício.

— O que é isso?

Era Katerina — a filha da casa viscondada estava lá.

Escondendo-se nas sombras do edifício, ela flertava com um homem.

— N-não, e se alguém nos achar?

— Vai ficar tudo bem desde que fiquemos quietos.

Certamente, havia muitos rumores que Katerina iria se casar com o rico e influente Peter.

Entretanto, o homem ali não era Peter.

Meu coração esfriou à vista disso.

Ela estava traindo… assim como minha esposa da vida passada.

Não pude deixar de sentir pena de Peter, que iria se casar com uma mulher dessas.

Bem, eu ainda não havia falado com Peter. Tentei evitá-lo porque eu realmente não queria criar uma conexão com a casa dele.

Ouvi que Peter vinha de uma cassa correta que governava seu povo com virtude.

De jeito nenhum eu conseguiria me dar bem com um cara desses.

Como alguém que almejava algo na direção completamente oposta à minha, eu tinha que evitá-lo. 

— Ainda assim… pobre Peter.

Ao mesmo tempo, não pude deixar de lamentar com o quanto Katerine era uma **d**¹.

Eu ainda tinha trabalho a fazer, então deixei o lugar e fingi não ver nada.

Em meus pensamentos:

(Eu sabia que não fazia sentido viver virtuosamente. Mesmo um cara sério como o Peter teve sua mulher tirada dele)


 

Brian(´ω;`) — Isso dói. Os mal-entendidos do Senhor Liam são dolorosos. Senhor Liam, você está sendo enganado. O Peter não é uma pessoa séria de modo algum!

Amagi( ・∀・) — O Mestre é sempre assim.


Tradução: Batata Yacon   |   Revisão: Delongas


Ei, se estiverem gostando do projeto e desejarem ajudar um pouco, vocês podem fazer isso acessando o link abaixo, solucionando o Captcha e aguardando dez segundos para ir à nossa página de agradecimentos.

Podem acessar por aqui.


AnteriorPróximo


Notas:

1. A raw diz: ‘この○○, então a censura estava lá propositalmente. A tradutora do ing não conseguiu descobrir o que era, e eu também não. Então o jeito é improvisar com base no contexto, acredito que se encaixe com o que escolhi.

9 ideias sobre “LoMa – Volume 2 – Capítulo 3

  1. Gatts Berserker

    — Não é óbvio? Antes de espremê-los, ajude seu povo a crescer primeiro. Quanto mais você investir neles, mais dinheiro eles ganharem, e mais se desenvolverem, maior será a probabilidade de se tornarem algo que você pode realmente espremer. Investimentos são importantes.
    ALGUÉM TOMOU lições com o mestre Weed.

    Curtido por 2 pessoas

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s